Uzbequistão

Uzbequistão

Ano zero para a liberdade de imprensa

A morte do presidente Islam Karimov, em agosto de 2016, inaugura uma nova página na história do Uzbequistão: em 25 anos de reinado, o inamovível ditador nunca deixou de intensificar a censura e perseguir os jornalistas independentes. Será que seu sucessor, o ex-primeiro ministro Chavkat Mirzioïev, saberá oferecer aos seus concidadãos o direito à informação que lhes é garantido pela Constituição? Ainda que o decano dos jornalistas aprisionados, Muhammad Bekjanov, tenha enfim recuperado a liberdade em fevereiro de 2017, nada menos do que nove outros jornalistas padecem ainda na prisão em condições abomináveis. Nos últimos anos, não satisfeitos com seu controle absoluto das mídias tradicionais, as autoridades reforçaram cada vez mais sua interferência na Internet: ao bloqueio de sites de notícias independentes, acrescentaram o bloqueio de ferramentas para contornar a censura e numerosos aplicativos de mensagem instantânea. A pressão se acentuou contra o último bastião de jornalistas independentes, que colaboram clandestinamente com mídias no exílio.

169
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2017

Posição

-3

166 em 2016

Pontuação global

+4.96

61.15 em 2016

Contatos

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2017
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2017
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2017
Ver o Barômetro