Ranking 2022
78/180
Nota: 61.55
Indicador político
121
46.82
Indicador econômico
96
41.33
Indicador legislativo
79
67.98
Indicador social
69
74.75
Indicador de segurança
55
76.87
Ranking 2021
81/180
Nota: 69.54
N/A
Estes indicadores não estão disponíveis antes de 2022 em função de uma mudança metodológica

Em Malta, os jornalistas têm de lidar com um ambiente muito polarizado, sujeito a forte influência dos partidos políticos. Em 2021, o inquérito público sobre o assassinato de Daphne Caruana Galiza emitiu suas conclusões, estabelecendo uma lista exaustiva de reformas que o governo está relutante em implementar.

Cenário midiático

A emissora pública PBS é a televisão mais assistida, à frente de canais pertencentes aos partidos políticos. Além dos três tradicionais jornais independentes (Times of Malta, Malta Independent e Malta Today), existem portais e blogs de notícias online.

Contexto político

O partido no poder exerce forte influência sobre a emissora pública e usa a publicidade pública para pressionar a mídia privada. Muitos políticos escolhem seus jornalistas para entrevistas exclusivas, enquanto aqueles considerados “hostis” são ignorados, mesmo no veículo de comunicação do partido. O governo exige um “cartão de acesso” emitido para os jornalistas para cobrir eventos que lhe digam respeito ou participar de coletivas de imprensa.

Quadro jurídico

A liberdade de imprensa é garantida pela Constituição, mas o arcabouço jurídico e regulamentar não é propício para que os jornalistas exerçam os seus direitos. A mídia independente é discriminada no acesso à informação e os repórteres são alvo de processos mordaça (SLAPPs). Os familiares da jornalista Daphne Caruana Galizia, assassinada em 2017, são alvo de processos de difamação póstumos.

Contexto económico

Embora seja relativamente fácil criar um veículo de comunicação, o pequeno tamanho do mercado limita as fontes de financiamento para redações independentes, cuja sustentabilidade é comprometida por uma distribuição opaca e discriminatória dos recursos públicos. Durante a pandemia, os subsídios foram concedidos principalmente aos meios de comunicação dos partidos políticos.

Contexto sociocultural

Em quase todos os assuntos de interesse público, a sociedade é fortemente polarizada. A cobertura de assuntos relacionados a movimentos migratórios ou aborto continua sendo pouco apreciada e leva a abusos contra os jornalistas autores da cobertura. Quase nenhum jornalista de uma minoria étnica trabalha para a grande mídia. O jornalismo investigativo é feito por um punhado de profissionais, quase todos do sexo masculino.

Segurança

Nenhum dos suspeitos presos pelo assassinato da jornalista Daphne Caruana Galizia em 2017 foi julgado e condenado. Embora o inquérito público tenha reconhecido que “o Estado deve assumir a responsabilidade pelo assassinato (de Daphne Caruana Galizia) devido ao clima de impunidade que resultou dele”, as recomendações que emitiu estão sendo implementadas lentamente demais. As instituições de aplicação da lei carecem de recursos para proteger efetivamente os jornalistas, que continuam a enfrentar ameaças em total impunidade.