Europa - Ásia Central
Quirguistão
-
Ranking 2022
72/180
Nota: 64.25
Indicador político
74
59.90
Indicador econômico
60
48.64
Indicador legislativo
73
68.86
Indicador social
90
69.00
Indicador de segurança
63
74.83
Ranking 2021
79/180
Nota: 69.63
N/A
Estes indicadores não estão disponíveis antes de 2022 em função de uma mudança metodológica

​​O país é uma exceção na Ásia Central, com relativa liberdade de expressão e de imprensa, apesar de uma economia instável e corrupção desenfreada dentro do poder público.

Cenário midiático

As autoridades ainda controlam os principais meios de comunicação tradicionais e tentam estender sua influência aos meios de comunicação privados. Mas existe um certo pluralismo, com sites de notícias independentes populares como 24.kg, Kaktus.media ou Kloop.kg, e o desenvolvimento do jornalismo investigativo e do jornalismo de dados. A esfera midiática se expandiu nos últimos anos, com mais de cinquenta grupos audiovisuais. O rádio e a televisão também continuam a ser as principais fontes de informação para os habitantes do país.

Contexto político

O Quirguistão, com um contexto político muito instável e polarizado, passou por 3 revoluções desde sua independência em 1991. Alguns meios de comunicação são usados por políticos para seus interesses pessoais. As instituições públicas restringem o acesso dos jornalistas à informação.

Quadro jurídico

Nos últimos anos, as autoridades tenderam a fortalecer a censura e introduzir leis restringindo a liberdade de imprensa. Após uma tentativa fracassada em 2020, o presidente Sadyr Japarov aprovou em 2021 uma lei de proteção contra "notícias falsas", que vai contra a constituição e os tratados internacionais e restringe a liberdade de imprensa.

Contexto económico

O apoio maciço do governo a publicações pró-governo distorce a concorrência entre os meios de comunicação. As autoridades também ameaçam introduzir um status de “agente estrangeiro”, semelhante ao vigente na Rússia, que visaria a mídia independente pelo fato desta receber parte de seu financiamento do exterior.

Contexto sociocultural

Devido ao alto nível de corrupção no país, reportagens sobre o assunto são apreciadas. Mas a maioria da sociedade não compartilha das opiniões críticas e das ideias democráticas divulgadas pelos jornalistas. 

Segurança

Os meios de comunicação independentes são regularmente condenados quando criticam as autoridades, sobretudo por difamação, e são por vezes alvo de ciberataques na sequência de artigos sobre casos de corrupção. Jornalistas investigativos são alvos de violência, assim como repórteres em comícios e manifestações.