Américas
Haiti
-
Ranking 2022
70/180
Nota: 64.55
Indicador político
77
59.60
Indicador econômico
56
50.34
Indicador legislativo
63
72.22
Indicador social
47
80.67
Indicador de segurança
106
59.91
Ranking 2021
87/180
Nota: 68.88
N/A
Estes indicadores não estão disponíveis antes de 2022 em função de uma mudança metodológica

Os jornalistas haitianos sofrem com uma cruel falta de recursos financeiros, ausência de apoio institucional e dificuldade de acesso à informação.

Cenário midiático

O rádio é o meio de comunicação de massa mais popular no Haiti. Mais de 400 emissoras de rádio e televisão operam no território, mas apenas metade funciona legalmente, com uma licença da Conatel, agência que regula as comunicações. A mídia privada, fortemente influenciada pelos interesses de seus acionistas, tem dificuldade de expressar seus pontos de vista e tende a se autocensurar. A empresa nacional de rádio e TV do Haiti, RTNH, é o principal grupo de mídia estatal.

Contexto político

Há décadas, o Haiti está mergulhado em uma profunda crise política e social, que teve uma trágica reviravolta com o assassinato do presidente Jovenel Moïse, em julho de 2021, na capital, Porto Príncipe. Esse fim abrupto de uma presidência controversa, em um clima geral de insegurança e violência, deu início a uma nova era de incertezas no país.

Quadro jurídico

Em 2017, o Senado aprovou um projeto de lei sobre difamação que previa penas severas para jornalistas, constituindo um grave atentado à liberdade de informação. Mesmo quando os jornalistas relatam ameaças de morte confiáveis às autoridades competentes, esses casos raramente vão além da denúncia formal, e os profissionais não contam com nenhuma medida oficial que garanta a sua segurança.

Contexto económico

Há quase um século, o Haiti é um dos países mais pobres do continente americano. A economia, baseada essencialmente na agricultura, é muito vulnerável às vicissitudes climáticas. O país também é fortemente dependente da ajuda internacional e das remessas dos haitianos que vivem na diáspora. O jornalismo é uma das profissões mais mal remuneradas no país e, com exceção daqueles que trabalham para a mídia pública, os jornalistas têm dificuldade até mesmo de suprir suas necessidades alimentares básicas.

Contexto sociocultural

O Haiti é um país culturalmente rico, especialmente na arte, na música, na dança e no teatro. Esses recursos constituem um fator de desenvolvimento capaz de projetar uma imagem diferente do país e atrair turistas. No entanto, a infraestrutura existente na ilha foi significativamente danificada por sucessivos desastres naturais.

Segurança

Desde 2018, os protestos, muitas vezes violentos, têm se multiplicado no Haiti. Intimidações e ataques violentos por parte das forças de segurança e de manifestantes contra jornalistas são frequentes, o que torna a profissão cada vez mais vulnerável e estigmatizada. Pelo menos cinco jornalistas foram assassinados no país desde 2018. 

Ataques em tempo real em Haiti

Assassinados a partir de 1o de janeiro 2022
2 jornalistas
0 colaboradores de meios
2
Presos atualmente
0 jornalistas
0 colaboradores de meios
0