Europa - Ásia Central
Liechtenstein
-
Ranking 2022
10/180
Nota: 84.03
Indicador político
20
80.36
Indicador econômico
19
68.78
Indicador legislativo
15
84.74
Indicador social
14
89.80
Indicador de segurança
1
96.46
Ranking 2021
23/180
Nota: 80.51
N/A
Estes indicadores não estão disponíveis antes de 2022 em função de uma mudança metodológica

Liechtenstein oferece poucas fontes nacionais de informação aos seus habitantes, que, no entanto, têm acesso aos programas dos países vizinhos para se informar. As ligações entre os vários meios de comunicação e os partidos políticos continuam a ser fortes no país.

Cenário midiático

Liechtenstein possui dois jornais diários, o Liechtensteiner Vaterland, maior jornal diário do país, e o Liechtensteiner Volksblatt, o mais antigo. Há apenas uma estação de rádio no país, Radio Liechtenstein, colocada desde 2003 sob a autoridade do Liechtensteinische Rundfunk (LRF) e que congrega mais de 50 mil ouvintes. O estado também possui um canal de televisão, 1FLTV, lançado em 2008 e de propriedade de uma empresa austríaca. Para diversificar essas fontes limitadas de informação, a população tem acesso aos meios de comunicação de países vizinhos como Alemanha, Suíça e Áustria.

Contexto político

 Embora a situação pareça estar melhorando, os vínculos da mídia com os atores políticos permanecem próximos, em detrimento de sua independência. Assim, os dois jornais diários do país são propriedade dos dois principais partidos no poder (VU/FBP). Em 2021 e pela primeira vez, o partido verde de esquerda Freie Liste (Lista Livre), até agora comprometido com a defesa da liberdade de imprensa, atacou jornalistas após a publicação, pelos dois jornais nacionais, de uma reportagem sobre ele.

Quadro jurídico

Os partidos políticos, e em particular os dois partidos no poder, exercem uma influência significativa nos jornais, cujos jornalistas podem tender à autocensura. A situação também é preocupante na radiotelevisão pública. Nela, o VU e o FBP são regularmente cortejados, enquanto os jornalistas que ali trabalham são quase todos formados neste veículo de imprensa.

Contexto económico

O principal problema da imprensa no país é o mercado publicitário limitado, que de fato reduz a oferta de mídia e não permite que ela seja lucrativa. Consequentemente, há uma dependência real entre os poderes econômicos e os jornais. Nenhum esforço real é feito para direcionar ajuda pública à mídia de forma a encorajar um jornalismo mais independente e reportagens de maior qualidade.

Contexto sociocultural

 Como muitos países, Liechtenstein enfrenta o declínio do interesse público pelas notícias e a crescente desconfiança em relação aos meios tradicionais. Em 2021, grupos ou indivíduos com ideias extremistas ganharam maior visibilidade no contexto da pandemia de Covid-19, influenciando significativamente o discurso contra a mídia.

Segurança

No contexto da pandemia de coronavírus, as tentativas de influenciar certos setores da sociedade civil aumentaram acentuadamente, e a mídia e os jornalistas foram regularmente expostos a ameaças ou difamação. Durante as manifestações contra as medidas sanitárias adotadas no país, repórteres e meios de comunicação sofreram ataques verbais sem precedentes.