Europa - Ásia Central
Bósnia-Herzegóvina
-
Ranking 2022
67/180
Nota: 65,64
Indicador político
69
61.56
Indicador econômico
101
40.23
Indicador legislativo
35
79.57
Indicador social
79
71.86
Indicador de segurança
61
74.95
Ranking 2021
58/180
Nota: 71,66
N/A
Estes indicadores não estão disponíveis antes de 2022 em função de uma mudança metodológica

​​A mídia opera em um ambiente jurídico relativamente favorável, mas em um clima político e econômico bastante hostil. Os jornalistas não se sentem protegidos ao exercer sua profissão. A liberdade de imprensa e a qualidade do jornalismo variam muito em todo o país.

Cenário midiático

A Bósnia-Herzegovina apresenta um panorama mediático muito fragmentado, com cerca de 40 canais de televisão, 150 estações de rádio, vários jornais diários e agências de notícias, cerca de 200 revistas e cerca de 600 sites de notícias. Paradoxalmente, este elevado número de meios de comunicação não implica um verdadeiro pluralismo de informação e opinião. As televisões N1 e Al Jazeera Balkans estão entre os veículos mais importantes. O jornalismo investigativo é garantido por sites como Cin, Istraga, Zurnal e Inforadar.

Contexto político

Embora o contexto político geral não favoreça a liberdade de imprensa, existem diferenças significativas em todo o país, devido às diversas estruturas políticas de suas entidades. Os meios de comunicação trabalham em melhores condições em Sarajevo, a capital, do que na Republika Srpska, de maioria sérvia e na parte ocidental da Federação da Bósnia e Herzegovina. Os políticos atacam regularmente os jornalistas e exercem sua influência na mídia pública e nos órgãos reguladores.

Quadro jurídico

Embora o arcabouço jurídico que rege o funcionamento dos meios de comunicação esteja amplamente alinhado com os padrões internacionais, o processo de formulação de políticas está parado há alguns anos, apesar da necessidade de alterar as leis existentes e promulgar novas. A maioria dos jornalistas trabalha em um ambiente livre de censura, mas há muitos fatores que favorecem a autocensura. O acesso à informação é, em princípio, aberto a todos os jornalistas, sem discriminação. Vigoram no país disposições jurídicas sobre a proteção das fontes e os códigos de ética.

Contexto económico

O contexto econômico é difícil devido à pequena dimensão do mercado e à falta de financiamento sustentável. A mídia bósnia também sofre com as divisões étnicas e a concorrência de meios de comunicação de países vizinhos pertencentes à mesma zona linguística. A tensa situação econômica e a dependência dos setores político e econômico levam muitos meios de comunicação a se abster do jornalismo crítico.

Contexto sociocultural

Dado o seu passado marcado pela guerra, a sociedade sofre de muitas divisões e permanece dividida entre aqueles que promovem a reconciliação e a cooperação, e aqueles que são a favor dos conflitos e divisões. As questões de identidade étnica e religiosa se impõem às liberdades individuais, incluindo a liberdade de imprensa. Assim como na sociedade, a posição das mulheres é mais difícil do que a dos homens na mídia.

Segurança

Os jornalistas são frequentemente alvo de ameaças e ataques verbais, às vezes agressões físicas. A maioria não se sente suficientemente protegida no exercício da sua profissão e não confia na polícia ou na justiça. Foram tomadas várias iniciativas para reforçar a sua segurança, mais especificamente através de legislação e de investigações devidamente realizadas pelo Ministério Público.

Ataques em tempo real na Bósnia-Herzegóvina

Assassinados a partir de 1o de janeiro 2022
0 jornalistas
0 colaboradores de meios
0
Presos atualmente
0 jornalistas
0 colaboradores de meios
0