Ranking 2022
31/180
Nota: 76.74
Indicador político
26
77.82
Indicador econômico
37
61.43
Indicador legislativo
41
78.95
Indicador social
46
81.20
Indicador de segurança
31
84.29
Ranking 2021
17/180
Nota: 83.66
N/A
Estes indicadores não estão disponíveis antes de 2022 em função de uma mudança metodológica

Na Áustria, a liberdade de imprensa foi enfraquecida por várias pressões políticas ou restrições ao acesso à informação. Em eventos públicos, a violência impedia os jornalistas de reportar livremente.

Cenário midiático

Dominado por 14 grandes meios de comunicação, o mercado de jornais diários é pequeno e altamente concentrado. O mais antigo deles, o Wiener Zeitung, talvez encerre suas atividades - um desaparecimento que, sem dúvida, enfraqueceria um pluralismo já restrito. A imprensa marrom é a que detém o maior número de leitores.

Contexto político

As tentativas de influenciar a imprensa são constantes na Áustria. Alguns políticos são suspeitos de usar dinheiro público para comprar cobertura favorável dos tabloides, enquanto outros tentaram intervir indo diretamente às redações, como o ex-chanceler Sebastian Kurz.  Este último foi forçado a renunciar em 2021 devido a suspeitas de comprar cobertura positiva de um jornal privado. 

Quadro jurídico

A Áustria é o último estado membro da UE que ainda não possui uma lei sobre liberdade de informação, mas vários projetos de lei estão em andamento para remediar isso, como o que aboliu o segredo de Estado. O "direito de acesso à informação" também deve ser constitucionalizado. No entanto, esses projetos de lei ainda não foram aprovados pelo Parlamento, embora estejam prontos desde o início de 2021.

Contexto económico

A mídia de qualidade está em dificuldades financeiras, então alguns de seus representantes pediram a adoção urgente de uma nova lei sobre subsídios à imprensa. Isso permitiria, sobretudo, alocar recursos públicos de acordo com a qualidade dos conteúdos midiáticos e não mais proporcionalmente à circulação, como ocorre atualmente. Os tabloides desfrutam da maior receita publicitária, devido à sua grande tiragem. 

Contexto sociocultural

A pandemia de Covid-19 polarizou parte da sociedade austríaca, e ativistas de extrema direita e opositores da vacinação não hesitaram em ameaçar e agredir jornalistas durante manifestações.

Segurança

A cobertura dos protestos pelos repórteres também tem sido cada vez mais obstruída pela polícia, ameaçando-os com ações na justiça ou assediando-os por meio de repetidas verificações de identidade. Mulheres jornalistas estão particularmente expostas a esse tipo de risco. Cartas ameaçadoras enviadas às redações também são comuns.

Ataques em tempo real na Áustria

Assassinados a partir de 1o de janeiro 2022
0 jornalistas
0 colaboradores de meios
0
Presos atualmente
0 jornalistas
0 colaboradores de meios
0