Birmânia

Birmânia

As promessas não cumpridas de Aung San Suu Kyi

Entre as esperanças dos jornalistas birmaneses no dia seguinte à vitória da Liga Nacional pela Democracia (LND), estava em primeiro lugar não precisar mais temer prisões e detenções por ter criticado o governo ou os militares. Infelizmente, a liberdade de imprensa não parece fazer parte das prioridades do novo governo. Mesmo que os jornalistas presos sob o governo de Thein Sein tenham sido anistiados e que a lei relativa ao estado de emergência tenha sido abolida, a autocensura permanece presente quando se trata de cobrir os oficiais no poder e os militares. As autoridades continuam a pressionar, e até mesmo a intervir diretamente nas redações para orientar sua linha editorial. O racismo anti-Rohingya generalizado limita uma cobertura midiática livre e independente da crise humanitária que assola o Arracão.

131
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2017

Posição

+12

143 em 2016

Pontuação global

-3.66

45.48 em 2016

  • 1
    Jornalistas assassinados em 2017
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2017
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2017
Ver o Barômetro