Suíça

Suíça

Um ambiente muito seguro, mas meios de comunicação sob pressão econômica

O ambiente jurídico e político em que os meios de comunicação operam na Suíça é geralmente favorável à liberdade de imprensa e muito seguro para profissionais da informação. O ano de 2019 foi, no entanto, marcado por várias ações na justiça movidas por políticos contra jornalistas, em Genebra e em Lausanne. O fenômeno é novo e faz com que se tema um aumento da desconfiança com relação aos jornalistas, em um país em que as críticas das políticas pela imprensa, ainda que severas, até agora não adentravam para o campo jurídico. A justiça de Genebra também condenou em recurso o diário Le Courier, em uma disputa civil por danos morais contra o rico mecenas Jean Claude Gandur. O caso foi levado ao Tribunal Federal, mas o procedimento é extremamente caro para um pequeno jornal com recursos limitados. Processos desse tipo podem ter um efeito inibidor sobre os jornalistas, especialmente porque a situação econômica dos meios de comunicação tem sido muito preocupante há vários anos. Os desaparecimentos de importantes veículos de mídia continuam e a concentração está se acelerando. A diversidade da imprensa na Suíça, tradicionalmente alta em comparação com outros países, está sendo gradualmente prejudicada pelas turbulências do mercado que se seguiram à revolução digital. Os efeitos são particularmente visíveis em um país pequeno, descentralizado e dividido em várias regiões linguísticas, cada uma formando um mercado distinto. O poder público reconheceu a magnitude do problema. A conselheira federal (ministra) responsável pelos meios de comunicação apresentará novas medidas de apoio ao setor em 2020.

8
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2020

Posição

-2

6 em 2019

Pontuação global

+0.10

10.52 em 2019

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2020
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2020
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2020
Ver o Barômetro