Ilhas Fiji

Ilhas Fiji

Vitórias motivadoras em um contexto hostil

A cobertura relativamente pluralista e equilibrada das eleições legislativas de 2018 - a segunda desde o golpe de 2006 - confirmou a vivacidade e o espírito de resistência da imprensa fijiana. Contudo, repórteres ainda precisam lidar com o Decreto de Desenvolvimento da Indústria de Mídia (Midd) convertido em lei em 2018, e com a autoridade reguladora resultante, a Autoridade de Desenvolvimento da Indústria de Mídia (Mida), cuja independência é claramente questionável. Os jornalistas que violarem as disposições vagamente formuladas dessa lei podem ser condenados a dois anos de prisão. Nesse contexto jurídico hostil, a liberação concedida em maio de 2018 ao principal jornal diário do país, o Fiji Timese, três de seus jornalistas, acusados de sedição, foi celebrada como uma vitória encorajadora para a liberdade de imprensa.

52
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2019

Posição

+5

57 em 2018

Pontuação global

+0.63

26.55 em 2018

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2019
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2019
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2019
Ver o Barômetro