Grã-Bretanha

Grã-Bretanha

Um fenômeno preocupante

Uma abordagem continuamente dura com relação à imprensa - muitas vezes em nome da segurança nacional - teve como resultado o Reino Unido manter sua pontuação de pior desempenho entre os países da Europa Ocidental no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa. O governo começou a implementar a Investigatory Powers Act - a legislação de vigilância mais extrema da história do Reino Unido - com mecanismos insuficientes de proteção para denunciantes, jornalistas e suas fontes.O secretário de estado Amber Rudd ameaçou repetidamente restringir as ferramentas de encriptação como o WhatsApp e anunciou planos de criminalizar a visualização repetida de conteúdo extremista. A seção 40 da Crime and Courts Act de 2013 permaneceu no texto, gerando preocupação - sobretudo, a medida punitiva de transferência de custo da lei que pode considerar os editores como responsáveis pelos custos de quaisquer alegações feitas contra eles, independentemente do mérito. Tanto o partido Conservador quanto o Trabalhista restringiram o acesso de jornalistas a eventos de campanha antes das eleições gerais de junho de 2017, e a editora de política da BBC Laura Kuenssberg foi alvo de grande quantidade de insultos e ameaças online, exigindo o uso de guarda-costas para protegê-la enquanto cobria o comício do partido Trabalhista.O escritório de advogados offshore Appleby abriu um processo judicial contra a BBC e o Guardian por quebra de confiança relacionada aos materiais na origem dos Paradise Papers. Até o momento, eles são os únicos entre os 96 veículos de comunicação que analisaram os Paradise Papers em 67 países a serem levados diante de um tribunal.

40
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2018

Posição

0

40 em 2017

Pontuação global

+0.99

22.26 em 2017

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2018
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2018
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2018
Ver o Barômetro