Polônia

Polônia

Nova deterioração

As tentativas de alinhar o judiciário com o governo estão começando a produzir seus efeitos na liberdade de expressão dos meios de comunicação independentes. Assim, observa-se uma crescente criminalização da imprensa em questões de difamação. Alguns tribunais agora estão usando o artigo 212 do código penal, que permite condenar jornalistas suspeitos de difamação a sentenças de até um ano de prisão, enquanto o código civil possui todos os meios necessários para proteger os cidadãos de casos potenciais de difamação pública. Mesmo que, na maioria das vezes, a justiça se contente com multas contra jornalistas, o uso do artigo 212 do Código Penal incentiva a autocensura nos meios de comunicação independentes. O diário Gazeta Wyborcza continua sendo o principal alvo de ataques governamentais e judiciais. Discursos partidários e mensagens de ódio tornaram-se parte da mídia pública, agora transformada em porta-vozes da propaganda do governo. Seus novos diretores não toleram nem oposição, nem neutralidade e demitem os empregados que resistem. Em fevereiro de 2019, após uma das muitas manifestações diante da administração da televisão pública TVP, o programa de notícias "Wiadomosci" transmitiu à noite imagens e dados sobre dez dos manifestantes. A TVP também apresentou uma queixa contra o mediador polonês Adam Bodnar, que descreveu como discurso de ódio a maneira como a televisão pública falou sobre o prefeito de Gdansk, Pawel Adamowicz, e que sugeriu que isso poderia ter favorecido seu assassinato em janeiro 2019.

62
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2020

Posição

-3

59 em 2019

Pontuação global

-0.24

28.89 em 2019

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2020
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2020
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2020
Ver o Barômetro