Kosovo

Kosovo

Kosovo, refém da sua instabilidade

O ano de 2018 viu o Kosovo mergulhar progressivamente na instabilidade política crônica. O isolamento de Pristina devido à aproximação diplomática do seu vizinho sérvio com a UE está na origem de uma situação política tensa. A falta de transparência por parte do governo sobre a questão europeia provocou fortes reações da opinião pública e dos jornalistas kosovares. Alguns meios de comunicação excluídos já não hesitam em criticar as políticas nacionalistas do Presidente Hashim Thaci e do seu partido, o Partido Democrático do Kosovo. Esses jornalistas críticos do poder são, assim, denunciados e qualificados como "traidores" ou "simpatizantes sérvios" pelo governo. Além disso, as divisões étnicas no país estão causando situações extremamente preocupantes para os jornalistas da minoria sérvia. Os veículos de comunicação dessa comunidade são regularmente alvos de campanhas midiáticas pró-governo, assédio cibernético e ataques verbais. No entanto, a paisagem midiática kosovar parece, à primeira vista, ser relativamente pluralista. Um grande número de meios de comunicação pertence a proprietários que não têm uma ligação direta com o mundo político, diversificando assim as linhas editoriais e as opiniões.

75
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2019

Posição

+3

78 em 2018

Pontuação global

+0.07

29.61 em 2018

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2019
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2019
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2019
Ver o Barômetro