Kosovo

Kosovo

Instabilidade aprofundada pela crise sanitária

Os meios de comunicação kosovares, como todos os outros setores produtivos do país, se dividem com base em critérios étnicos. O acesso à informação é frequentemente limitado de acordo com o grupo étnico ou político, ou seja, o público acessa temas relacionados apenas à sua própria nacionalidade, tratados apenas por seus próprios pontos de vista. No início de 2021, equipes de jornalistas oriundos da Sérvia foram proibidas de entrar no Kosovo por não terem notificado as autoridades. Os jornalistas e os meios de comunicação kosovares enfrentam muitas ameaças: ataques físicos e verbais, ataques cibernéticos, autocensura e falta de transparência em relação à propriedade das organizações de imprensa. Os veículos de comunicação financeiramente frágeis estão sob a influência de políticos. A Covid-19 desestabilizou ainda mais as finanças os meios de comunicação. Muitos deles pararam de publicar versões impressas de seus jornais. O toque de recolher, consequência da pandemia, serviu de pretexto para que a polícia prendesse arbitrariamente a editora-chefe do site KoSSev, Tatjana Lazarević. Além disso, o destino de muitos jornalistas, como aqueles sequestrados ou desaparecidos durante o conflito de 1999, permanece desconhecido.

78
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2021

Posição

-8

70 em 2020

Pontuação global

+0.99

29.33 em 2020

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2021
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2021
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2021
Ver o Barômetro