Honduras

Honduras

Ameaças permanentes e proteiformes

A imprensa hondurenha tem vivido uma longa descida aos infernos há cerca de uma década, e sobretudo depois do golpe de estado de 2009. A taxa de impunidade, nesse país exangue devido à violência do crime organizado e à corrupção, é uma das mais altas do continente. Os jornalistas e a imprensa de oposição e meios de comunicação comunitários são regularmente agredidos, ameaçados de morte e forçados ao exílio. Além disso, processos abusivos são com frequência abertos contra jornalistas, as penas de prisão por difamação são frequentes e são, por vezes, acompanhadas pela proibição de exercer a profissão. A campanha eleitoral de 2017, que levou à reeleição do presidente Juan Orlando Hernandez, foi marcada por inúmeras pressões, ameaças e violências contra a imprensa.

141
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2018

Posição

-1

140 em 2017

Pontuação global

+1.48

43.75 em 2017

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2018
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2018
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2018
Ver o Barômetro