Comores

Comores

Ataques à liberdade de imprensa em alta

A liberdade de imprensa é garantida pela constituição de 2001, revisada em 2018, mas a autocensura é uma prática comum entre os jornalistas das Comores devido a pesadas multas por difamação. Os jornalistas sofrem, principalmente, de uma falta cruel de recursos e de formação, tendo dificuldades para se estruturar. Em 2018, a cobertura do controverso referendo constitucional que permitiu que o presidente Azali Assoumani se recandidatasse foi acompanhado por um incomum surto de abusos contra jornalistas em um país que, até então, não tinha registrados maiores casos de violações à liberdade de imprensa. Um jornalista foi ameaçado de ser processado por um ministro, o diretor do principal jornal público Al-watwan foi demitido pouco depois de defender num editorial a necessidade de deixar as vozes críticas ao plebiscito falarem, e um repórter foi agredido pelo simples fato de tirar uma foto nos arredores do tribunal.

56
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2019

Posição

-7

49 em 2018

Pontuação global

+2.61

25.30 em 2018

  • 0
    journalistes tués em 2019
  • 0
    journalistes citoyens tués em 2019
  • 0
    collaborateurs tués em 2019
Ver o Barômetro