BALANÇO DOS JORNALISTAS MORTOS, PRESOS, REFÉNS E DESAPARECIDOS NO MUNDO EM 2017

APRESENTAÇÃO GERAL

OBSERVAÇÃO METODOLÓGICA

A contagem total do Balanço 2017 estabelecido pela Repórteres sem Fronteiras (RSF) inclui jornalistas profissionais, colaboradores de meios de comunicação e jornalistas cidadãos. Estes últimos desempenham um papel crescente na produção de informação, especialmente em regimes autoritários ou países em guerra, onde é mais difícil para jornalistas profissionais exercerem sua atividade. No detalhamento, o balanço distingue, na medida do possível, esses atores da informação dos jornalistas profissionais, para que seja possível estabelecer comparações de um ano a outro.

Elaborado todos os anos desde 1995 pela RSF, o balanço anual dos abusos cometidos contra jornalistas se baseia em dados precisos. A RSF efetua uma minuciosa coleta de informações que permite afirmar, com certeza, ou pelo menos com forte presunção, que a prisão, o sequestro, o desaparecimento ou a morte de um jornalista é consequência direta do exercício de sua profissão. Para esta última categoria, a RSF faz uma distinção, sempre que possível, entre os jornalistas deliberadamente visados e aqueles mortos durante uma reportagem. Os casos para os quais a organização ainda não conseguiu reunir os elementos necessários para determinar com rigor a natureza do vínculo entre a atividade jornalística e o abuso seguem sendo investigados e, portanto, ainda não figuram neste balanço

RESUMO