Turquia

Turquia

O jornalismo no momento da purga em massa

A caça os meios de comunicação críticos conduzida pelo governo de Recep Tayyip Erdogan chega ao ápice após a tentativa de golpe de 15 de julho de 2016. Em nome da luta contra o “terrorismo”, o país se afunda numa espiral de repressão sem precedentes. O estado de emergência permite que as autoridades desmontem com uma canetada dezenas de mídias, reduzindo o pluralismo a um punhado de jornais de tiragem baixa. Dezenas de jornalistas são colocados atrás das grades sem julgamento, tornando a Turquia a maior prisão do mundo para os profissionais da comunicação. Aqueles que permanecem em liberdade são também expostos a arbitrariedades: processos em cascata, retirada de credenciais de imprensa, anulação de passaportes, confisco de bens... A censura da Internet e das redes sociais também atingiu níveis inéditos.

155
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2017

Posição

-4

151 em 2016

Pontuação global

+2.22

50.76 em 2016

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2017
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2017
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2017
Ver o Barômetro