Nossos valores

Repórteres sem Fronteiras é a maior organização internacional de defesa da liberdade de imprensa, entendida como o direito humano fundamental de informar e ser informado.

No início do século XXI, cerca de metade da população mundial continua sem ter acesso a uma informação livre.

Privados da clarividência informativa necessária para decidir como orientar suas vidas, despojados de seu livre arbítrio, estas pessoas são impedidas de viver em sistemas políticos pluralistas em que as “verdades factuais” constituam a base das escolhas individuais e coletivas.


A liberdade da informação é aquela que permite verificar a existência de todas as outras.Win Tin, jornalista birmanês


Promover todas as liberdades

A liberdade de consciência depende de nosso conhecimento da realidade. Em 1948, as Nações Unidas declaravam, no artigo 19 da Declaração Universal de Direitos Humanos, que “a liberdade de opinião e de expressão” implicava “o direito de não ser inquietado por procurar, receber e difundir informações, sem consideração de fronteiras”.


Assegurar a dignidade humana

O Ato Constitutivo da Unesco afirma que a livre busca da verdade objetiva constitui um elemento da dignidade e da liberdade humanas. Tal implica aceitarmos que essa mesma verdade pode assumir formas e resultados diferentes e por vezes até contraditórios, pois ninguém é dono da verdade.


Repórteres sem Fronteiras defende todos aqueles jornalistas, profissionais ou mesmo amadores, que defendem teses contrárias entre si, mas que se empenham em descrever a realidade de maneira independente.


Fomentar a democracia

Seja qual for o sistema político, a representação de interesses divergentes e das contradições internas implica a existência de contrapoderes livres. Nos regimes ditatoriais, as restrições aos jornalistas alimentam a dominação do aparelho de Estado e a usurpação das riquezas por uns poucos. Nas democracias, o divertimento e o controle dos desejos através de retribuições positivas podem suscitar uma “apatia” política. O jornalismo livre é crucial para uma democracia de “alta intensidade”.


Favorecer o desenvolvimento

Seja qual for a doutrina econômica utilizada para analisar as escolhas humanas, é evidente que as escolhas dos atores públicos e privados devem ser definidas com base em fatos exatos. A liberdade da informação é uma garantia de transparência e de eficácia dos mercados públicos e privados, assim como da ajuda ao desenvolvimento. Dessa liberdade depende a coerência das políticas públicas e a prosperidade das empresas privadas, logo é garantia de um crescimento sustentável e respeitador dos equilíbrios naturais e humanos.


Estimular as capacidades dos indivíduos

O Prêmio Nobel de Economia Amartya Sen definiu o desenvolvimento como “um processo de expansão das liberdades individuais substanciais”. A liberdade de informação é sem dúvida uma das principais vias para estimular as “capacidades” dos indivíduos, incluindo sua participação no sistema de saúde, de educação e no debate público: em poucas palavras, o controle sobre sua própria vida. A liberdade de informação é uma condição indispensável para o enriquecimento das possibilidades sociais, econômicas e políticas oferecidas a cada indivíduo.