Cingapura

Cingapura

A autocensura generalizada diante de um poder intolerante à crítica

O governo do primeiro ministro Lee Hsien Loong está sempre pronto a processar na justiça seus detratores, a fazer pressão para que não possam ser empregados, chegando mesmo a forçá-los a sair do país. A Autoridade de Desenvolvimento dos Meios de Comunicação (MDA) tem o poder de censurar qualquer tipo de conteúdo jornalístico. Os processos por difamação são frequentes na cidade-estado e podem ser acompanhados de acusações de "sedição", crime passível de 21 anos de prisão. A autocensura é generalizada, inclusive entre os meios de comunicação alternativos independentes, intimidados pelas pressões judiciais e econômicas exercidas pelas autoridades. A famosa linha vermelha - que os jornalistas apelidam de "OB Markers" (“Out of Bounds”, fora dos limites) - limita de forma cada vez mais draconiana a cobertura jornalística de inúmeros assuntos e personagens públicas. Como em muitos países do Sudeste Asiático, intenção do governo de legislar contra as "falsas informações" causa temor pela liberdade de informar. Sobretudo, um projeto de lei autorizando a polícia a revistar sem mandato nenhum os domicílios e aparelhos eletrônicos, fazendo com que pairem pesadas ameaças sobre o segredo das fontes.

151
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2018

Posição

0

151 em 2017

Pontuação global

-0.15

51.10 em 2017

Contatos

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2018
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2018
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2018
Ver o Barômetro