Chile

Chile

Um pluralismo limitado, jornalistas ainda vulneráveis

Apesar de uma relativa estabilidade democrática, o Chile ainda está exposto a problemas de corrupção e sofre com os ecos da ditadura militar. Em um contexto de alta concentração da imprensa, o pluralismo está em falta e a mídia comunitária não consegue garantir a sustentabilidade de suas atividades, limitando gravemente o debate democrático no país. Apesar dos avanços significativos no acesso à informação e no uso da Internet, o sigilo das fontes é regularmente atacado e alguns temas continuam difíceis de serem abordados, como as reivindicações das comunidades Mapuche, em conflito com o Estado chileno há quase 200 anos, ou ainda a corrupção da classe política. Os repórteres que cobrem os protestos são frequentemente agredidos e sofrem com a falta de proteção. No último trimestre de 2019, os violentos protestos desencadeados pelo aumento do preço do metrô em Santiago levaram a numerosas agressões e ataques direcionados contra os jornalistas e os meios de comunicação em todo o país.

51
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2020

Posição

-5

46 em 2019

Pontuação global

+1.66

25.65 em 2019

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2020
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2020
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2020
Ver o Barômetro