RSF anuncia a abertura do Centro para a Liberdade de Imprensa em Lviv nos próximos dias

A guerra da informação se tornou um dos múltiplos fronts da invasão russa na Ucrânia. Nesse contexto, a Repórteres sem Fronteiras (RSF) vai abrir um centro para a liberdade de imprensa em Lviv para apoiar jornalistas que estão cobrindo o conflito e em situação de risco. O centro será operado localmente pelo Institute for Mass Information (IMI), organização parceira da RSF.

 

O Centro para a Liberdade de Imprensa de Lviv pretende tornar-se um hub para disponibilizar equipamentos de proteção para jornalistas, sobretudo coletes à prova de balas e capacetes, que atualmente estão em falta. O local também será um centro de referência para jornalistas que buscam assistência financeira ou psicológica.  

 

Localizado em Lviv, no oeste do país, o centro vai ocupar as instalações do Lviv International Media Center, uma redação criada pela câmara municipal local. Jornalistas estrangeiros podem trabalhar lá das 8h às 20h com conexão à Internet, capacidade de transmissão ao vivo e abrigo em caso de ataque. O Centro criado pela RSF será gerido em parceria com o Institute for Mass Communication (IMI), organização parceira da RSF na Ucrânia desde 2014. 

 

O centro contará com uma interface digital para canalizar solicitações e avaliar necessidades. A RSF e o IMI recebem centenas de pedidos todos os dias de jornalistas em busca de assistência, seja transporte, ajuda humanitária ou material de reportagem. O site facilitará muito o trabalho das organizações de defesa da liberdade de imprensa.

 

A RSF também colocará à disposição sua tecnologia Collateral Freedom em benefício dos meios de comunicação independentes ucranianos censurados, para contornar o bloqueio da Internet através de sites “espelhados”, criados em servidores internacionais.

 

Desde o primeiro dia, a RSF esteve ao lado dos jornalistas ucranianos e repórteres internacionais em perigo", explicou Christophe Deloire, secretário-geral da RSF. "As necessidades são imensas e incluem kits de primeiros socorros, ajuda humanitária, equipamentos de proteção, financiamento da mídia... Apelamos aos doadores internacionais e meios de comunicação para contatar a RSF para enviar fundos e equipamentos necessários nos próximos dias.

 

"Os jornalistas na Ucrânia são forçados a trabalhar em condições extremamente perigosas”, disse a diretora do IMI, Oksana Romaniuk. “Sua coragem nos permite conhecer a realidade da agressão russa na Ucrânia. Seu trabalho protege o direito à informação e ajuda a combater notícias falsas. Agradecemos o apoio de nossa parceira de longa data, a RSF, e juntos faremos tudo o que pudermos para proteger o trabalho dos jornalistas na Ucrânia.”

 

Para Hrystyna Lebed, coordenadora do Centro, “a produção e divulgação de informações confiáveis sobre a guerra é fundamental para nós. Nosso país está sob ataque e estamos lutando por nossa liberdade. Faremos tudo o que for necessário para que os jornalistas possam trabalhar e os meios de comunicação divulguem as informações".

 

O Centro para a Liberdade de Imprensa de Lviv coopera estreitamente com o programa de apoio aos jornalistas ucranianos da rede europeia de jornalistas n-ost.

 

Os primeiros apoiadores do Centro incluem a Limelight Foundation e a Fundação Adessium na Holanda, a Schöpflin Foundation na Alemanha, a Fondation du Roi Baudouin na Bélgica e a Oak Foundation no Reino Unido, assim como dezenas de doadores individuais. A RSF e o IMI agradecem pelo seu envolvimento. 

 

Publié le 04.03.2022
Mise à jour le 05.03.2022