Turcomenistão

Turcomenistão

Um "buraco negro da informação" ainda mais profundo

No Turcomenistão, todos os meios de comunicação são controlados pelo Estado e os raros internautas não têm acesso a mais do que uma versão ultra-censurada da Internet. Mas isso não basta para o presidente Gourbangouly Berdymoukhammedov, também conhecido como "Pai protetor": a repressão contra os poucos jornalistas independentes, trabalhando clandestinamente para mídias sediadas no exterior, não para de se intensificar. Saparmamed Nepeskouliev apodrece na prisão desde julho de 2015. Nos últimos anos, vários de seus colegas foram presos, torturados, agredidos ou forçados a por um termo a suas atividades. Sob o pretexto de "embelezar as cidades", as autoridades continuam com sua campanha de erradicação das antenas parabólicas, privando a população de uma de suas últimas possibilidades de acesso a uma informação não controlada. A primeira lei do audiovisual do país, promulgada em 2018, autoriza, teoricamente, os canais privados... com a condição de que elas também promovam uma "imagem positiva do Turcomenistão".

178
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2018

Posição

0

178 em 2017

Pontuação global

+0.01

84.19 em 2017

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2018
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2018
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2018
Ver o Barômetro