Jamaica

Jamaica

Quase impecável

A Jamaica se caracteriza por um grande respeito à liberdade de imprensa e continua a figurar entre os países mais seguros do mundo para jornalistas. Agressões físicas são raras e nenhum grande ato de violência foi cometido contra um profissional da mídia na última década.

Em 2020, contudo, as autoridades jamaicanas foram alvo de críticas, tendo as restrições instauradas por causa da pandemia de Covid-19 sido percebidas pelos jornalistas como entraves ao seu trabalho, justamente num momento em que o público precisava ainda mais de informações confiáveis. Juntamente com a Associação de Imprensa da Jamaica (Press Association of Jamaica, PAJ), os editores e diretores dos principais veículos de comunicação do país pediram ao primeiro-ministro Andrew Holness que redefinisse as regras de confinamento público, que limitavam os deslocamentos de apresentadores de rádio e televisão, jornalistas, cinegrafistas, técnicos e outros profissionais da mídia. 

O chefe de governo já havia gerado reações negativas no final de 2019 por seus comentários sugerindo que os jornalistas não deveriam se ater aos fatos ou à verdade e que uma imprensa livre lhes permitia "tomar a posição que lhes conviesse" - comentários que a PAJ qualificou de “representação perturbadora e distorcida do trabalho da imprensa”.

7
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2021

Posição

-1

6 em 2020

Pontuação global

-0.55

10.51 em 2020

Contatos

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2021
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2021
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2021
Ver o Barômetro