Azerbaijão

Azerbaijão

Uma esperança de abertura rapidamente frustrada

Não satisfeito em ter acabado com qualquer forma de pluralismo, o presidente Ilham Aliev tem travado uma guerra implacável contra seus críticos remanescentes desde 2014.  Caso resistam às pressões, às tentativas de chantagem ou de corrupção, os jornalistas e blogueiros independentes são jogados na prisão sob pretextos absurdos. Para tentar curvar aqueles que resistem no exílio, o regime de Baku ataca os membros de suas famílias.  Os principais sites de notícias independentes estão bloqueados. As esperanças geradas pelo anúncio de grandes reformas no final de 2019 foram rapidamente frustradas.  A repressão pós-eleitoral, a crise do novo coronavírus e, em seguida, o conflito do outono de 2020 em Nagorno-Karabakh, território disputado com a Armênia, fortaleceram ainda mais a censura e pioraram a situação dos jornalistas. Pelo menos sete repórteres ficaram feridos em campo, outros escaparam por pouco dos disparos das forças armadas. As barreiras ao credenciamento de jornalistas estrangeiros aumentaram e, uma vez no país, muitos não puderam trabalhar livremente.  Enquanto os meios de comunicação não puderem atuar com segurança e sua independência econômica não for assegurada, as declarações do presidente não inspirarão confiança.

167
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2021

Posição

+1

168 em 2020

Pontuação global

+0.29

58.48 em 2020

  • 2
    Jornalistas assassinados em 2021
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2021
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2021
Ver o Barômetro