Azerbaijão

Azerbaijão

Uma esperança de abertura rapidamente frustrada

Não satisfeito em ter acabado com qualquer forma de pluralismo, o presidente Ilham Aliev lidera, desde 2014, trava uma guerra impiedosa contra as últimas vozes críticas. Embora resistam às pressões, às tentativas de chantagem ou de corrupção, os jornalistas e blogueiros independentes são jogados na prisão sob pretextos absurdos. A esperança suscitada pela demissão no final de 2019 do conselheiro do presidente Ali Hasanov, "censor principal" dos meios de comunicação, e pelo anúncio de reformas profundas foi frustrada com a repressão pós-eleitoral contra aqueles que tentaram cobrir as fraudes e os comícios da oposição. Os principais sites de notícias independentes estão bloqueados. Para tentar curvar aqueles que resistem no exílio, o regime de Baku ataca os membros de suas famílias. E ele não hesita em exportar sua repressão: jornalistas presos na Geórgia e na Ucrânia, processados na França ... Enquanto os meios de comunicação não puderem trabalhar com segurança e enquanto sua independência econômica não for garantida, as declarações do presidente sobre o início das reformas não inspirarão confiança alguma.

168
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2020

Posição

-2

166 em 2019

Pontuação global

-0.65

59.13 em 2019

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2020
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2020
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2020
Ver o Barômetro