Arábia Saudita

Arábia Saudita

Uma imprensa independente inexistente

Não existem meios de comunicação livres na Arábia Saudita e os partidos políticos, sindicatos e organizações de defesa dos direitos humanos verdadeiramente independentes não são tolerados. Neste país onde a censura é muito forte, a Internet é o único espaço onde a informação independente pode eventualmente circular, para risco e perigo dos jornalistas-cidadãos. Assim como os profissionais, estes últimos são vigiados de perto e correm o risco de serem condenados ou presos por propostas críticas, devido às leis antiterrorista ou de criminalidade cibernética. A blasfêmia, o insulto à religião, a "incitação ao caos", a "colocação em perigo da unidade nacional" e "o atentado à imagem e à reputação do rei e do Estado" são as principais acusações feitas contra aqueles que manifestam sua vontade de informar. Estes podem então ser presos arbitrariamente sem processo, ser submetidos a punições bárbaras, como levar chicotadas, ou sofrer maus tratos em detenção. A chegada ao poder do jovem príncipe herdeiro Mohamed Ben Salmane em junho de 2017, apesar de seu discurso de abertura, ainda não produziu resultados positivos para a liberdade de informação.

169
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2018

Posição

-1

168 em 2017

Pontuação global

-2.89

66.02 em 2017

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2018
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2018
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2018
Ver o Barômetro