RSF entrega petição internacional pedindo à ministra do Interior do Reino Unido que rejeite a extradição de Julian Assange

A Repórteres sem Fronteiras (RSF) entregou uma petição, com quase 64 mil assinaturas de todo o mundo, coletadas em apenas um mês, pedindo à ministra do Interior do Reino Unido, Priti Patel, que rejeite a extradição do fundador do Wikileaks, Julian Assange, aos Estados Unidos.

 

No dia 18 de maio, a RSF buscou entregar a Priti Patel a petição #FreeAssange, instando-a a não assinar a ordem de extradição e a agir a favor da proteção do jornalismo e da liberdade de imprensa, libertando Julian Assange sem demora. A organização se reuniu em Londres com outras ONGs – que haviam assinado uma carta conjunta a Priti Patel – na tentativa de entregar sua petição, com cerca de 64 mil assinaturas coletadas em apenas um mês, diretamente ao Ministério do Interior. Após a recusa do Ministério em receber o documento, a petição foi transmitida por e-mail e por correio. 

Nos dias 17 e 18 de maio, representantes da RSF também entregaram a mesma petição às embaixadas britânicas em Washington DC, Paris, Berlim, Madri, Argel e no consulado no Rio de Janeiro.

“Somos profundamente gratos aos apoiadores de Julian Assange em todo o mundo por assinarem esta petição e fazerem ouvir suas vozes, juntando-se ao apelo global dirigido ao governo do Reino Unido para não extraditar Julian Assange. A mensagem é clara: aceitar a extradição do fundador do Wikileaks equivaleria a agir contra o jornalismo e a liberdade de imprensa. É por isso que pedimos a Priti Patel que rejeite a ordem de extradição e se comprometa com a libertação imediata de Julian Assange. Continuaremos nossa campanha internacional até sua libertação”, declarou Rebecca Vincent, diretora de operações e campanhas da RSF.

O dia 18 de maio marca o fim do prazo de um mês, iniciado em 20 de abril, data do despacho do Tribunal de Magistrados de Westminster, concedido à defesa do fundador do Wikileaks para apresentar suas provas. Agora, a qualquer momento, a ministra do Interior pode assinar ou rejeitar sua ordem de extradição. 

Caso seja extraditado para os Estados Unidos, Julian Assange será julgado por 18 acusações relacionadas à divulgação de centenas de milhares de documentos confidenciais pelo Wikileaks em 2010, que alimentaram inúmeras publicações de interesse geral em todo o mundo. Se for processado com base na Lei da Espionagem, ele pode pegar uma pena de prisão de até 175 anos, sem poder apelar à defesa do interesse público.

 

Image
Royaume-Uni
24/180
Nota: 78,71
Publié le