Por um protetor dos jornalistas

Um vasto conjunto de organizações e jornalistas lança um apelo a favor da criação de um Representante Especial do Secretário-geral das Nações Unidas para a Segurança dos Jornalistas, uma proposta promovida por Repórteres sem Fronteiras (RSF).


Meios de comunicação, jornalistas, ONG e personalidades públicas de todos os continentes lançam um apelo solene pela criação de um “protetor dos jornalistas”, com base na proposta de RSF de um Representante Especial do Secretário-geral das Nações Unidas para a Segurança dos Jornalistas. A coalizão exorta as Nações Unidas e os Estados-membros a proporcionar ao titular deste cargo o peso político, a capacidade de ação rápida e a legitimidade necessária para coordenar todos os esforços da ONU pela segurança dos jornalistas.


78
Jornalistas assassinados
Em 2016,
o objetivo consiste em implementar um mecanismo concreto de aplicação do direito internacional tendo em vista a diminuição do número de jornalistas mortos anualmente no exercício de sua profissão ou por motivos com ela relacionados. A adoção de numerosas resoluções da ONU sobre a proteção dos jornalistas e a luta contra a impunidade não permitiu obter resultados concretos, como comprovam as estatísticas.


780
Jornalistas assassinados
Desde 2006,
Ao longo dos últimos 10 anos, 780 jornalistas e colaboradores da mídia foram mortos no exercício de suas funções. Só no ano de 2016, segundo o cômputo de RSF, registraram-se 78 jornalistas assassinados em todo o mundo.


Com eles foi sacrificado o direito à informação de milhões de cidadãos. Os problemas planetários que enfrentamos atualmente, como as questões climáticas e o extremismo violento, não podem ser resolvidos sem o trabalho dos jornalistas.


É urgente atuar.


É urgente que os jornalistas possam efetuar seu trabalho num clima de segurança e colocar um ponto final na impunidade dos autores de violências contra os jornalistas.



#Protectjournalists