Egito

Egito

Cinco anos depois da “Revolução de 25 de janeiro de 2011”, a situação da liberdade de informação no Egito é extremamente preocupante. Os sucessivos governos procuraram controlar a mídia e não hesitaram em impor medidas liberticidas contra os profissionais da informação. As novas autoridades egípcias, dirigidas pela personalidade do general al-Sisi, levam a cabo uma autêntica “caça aos Irmãos Muçulmanos” (organização entretanto proibida) e promovem uma “sisização” dos meios de comunicação. A lei anti-terrorista, aprovada em agosto de 2015, obriga os jornalistas que cobrem atentados a respeitar a versão oficial, em nome da segurança nacional.

159
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2016

Posição

-1

158 em 2015

Pontuação global

-4.28

50.17 em 2015

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2017
  • 0
    Net-cidadãos assassinados em 2017
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2017
Ver o Barômetro