Serra Leoa

Serra Leoa

Uma imprensa livre, desde que não incomode

A imprensa da Serra Leoa é pluralista e independente. As rádios comunitárias, que alcançam uma parte considerável da população, transmitem sem restrição. O presidente Julius Maada Bio, no cargo desde abril de 2018, prometeu revogar o capítulo de uma lei de ordem pública que remonta a 1965 e que prevê até sete anos de prisão para publicações "sediciosas" ou "difamatórias". Durante a crise de Ebola, o delito de difamação foi amplamente usado para amordaçar a imprensa num contexto de estado de emergência (2014-2016), forçando os jornalistas a se autocensurarem e, até mesmo, a se esconderem. Em novembro de 2019, um jornalista do diário privado The Times foi acusado de difamação e detido por 24 horas por um artigo que ainda não havia sido publicado. As boas intenções do Chefe de Estado devem se materializar rapidamente em ações concretas, especialmente na proteção de jornalistas. Muitos deles foram agredidos no ano passado pela polícia ou por ativistas políticos, especialmente no contexto das eleições presidenciais de março, quando a internet foi cortada.

85
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2020

Posição

+1

86 em 2019

Pontuação global

-0.08

30.36 em 2019

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2020
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2020
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2020
Ver o Barômetro