Samoa

Samoa

Um modelo regional de desenvolvimento da imprensa em perigo

Apesar da vivacidade de grupos de imprensa como Talamua Media ou o grupo do Samoa Observer, o arquipélago está perdendo seu status de modelo de liberdade de imprensa na região do Pacífico. Em 2013, as autoridades haviam abolido a lei sobre a criminalização da difamação, que havia gerado esperanças reais. Tudo à toa: o Parlamento finalmente restabeleceu esta lei em dezembro de 2017, sob pressão do Primeiro Ministro Tuilaepa Sailele Malielegaoi, para cuidar dos jornalistas que ousem criticar membros do governo. Alguns meses depois, no início de 2018, o mesmo primeiro-ministro alertou a mídia samoana, pedindo-lhes que "Não brinquem com fogo" ao publicar informações críticas demais, caso contrário, seu gabinete se encarregaria em censurar seus sites. Ameaças repetidas que levaram a Aliança de profissionais da mídia pelo desenvolvimento (Samoa Alliance of Media Practitioners for Development, SAMPOD) a mobilizar a profissão para reafirmar o direito fundamental dos samoanos de acessar informações plurais, livres e independentes, como condição indispensável para o exercício da democracia no arquipélago.

22
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2019

Posição

0

22 em 2018

Pontuação global

+1.56

16.69 em 2018

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2019
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2019
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2019
Ver o Barômetro