Análise

  • O jornalismo fragilizado pela erosão da democracia

    A edição 2017 do Ranking Mundial da Liberdade de imprensa, elaborado pela Repórteres sem Fronteiras (RSF), revela que as violações do direito de informar são cada vez menos exclusividade de regimes autoritários e ditaduras. Também nas democracias essa liberdade se mostra cada vez mais frágil. Com ataques recorrentes à imprensa, o avanço de leis que limitam a expressão, os conflitos de interesse e até mesmo baixo a violência física direta, os regimes democráticos multiplicam os golpes contra esse direito que é, em princípio, um dos principais indicadores do seu bom funcionamento.


  • Ranking 2017 da Liberdade de Imprensa: um mapa-múndi cada vez mais sombrio

    A edição 2017 do Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa elaborado pela Repórteres sem Fronteiras (RSF) mostra um aumento do número de países onde a situação da liberdade de imprensa é especialmente grave e revela a amplitude dos males e flagelos que prejudicam a liberdade de informar no mundo.


  • Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa 2017: a grande virada

    A edição 2017 do Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa da Repórteres sem Fronteiras (RSF) está marcada pela banalização dos ataques contra as mídias e o triunfo de políticos autoritários que fazem com que o mundo caia na era da pós-verdade, da propaganda política e da repressão, sobretudo nas democracias.