Notícia

24 Agosto 2017

Um jornalista mexicano sob proteção federal assassinado em Veracruz

O jornalista Cándido Ríos Vázquez, sob proteção federal há seis meses, foi abatido em plena rua no dia 22 de agosto de 2017. A RSF denuncia um ato odioso e questiona seriamente a efetividade dos mecanismos de proteção no México.

O jornalista mexicano Cándido Ríos Vázquez, correspondente do diário El Diario de Acayucán e fundador do jornal La Voz de Hueyapan, no estado de Veracruz, foi morto a balas no dia 22 de agosto de 2017, no bairro Juan Díaz Covarrubias da cidade de Hueyapan de Ocampo (sul do estado de Veracruz).


Duas outras pessoas foram mortas durante o ataque, Víctor Antonio Alegría, ex-inspetor da polícia municipal de Acayucan, e um indivíduo cuja identidade ainda não é conhecida. Todos os três encontravam-se diante de um supermercado quando uma camionete parou diante deles e abriu fogo.


Cándido Ríos Vázquez era beneficiário de medidas de proteção do mecanismo federal do Ministério do Interior (Segob) desde março de 2017, informação confirmada por funcionários do mecanismo à RSF.


O Subsecretário de Direitos Humanos da Segob, Roberto Campa Cifrián, declarou que o ataque não foi dirigido contra o jornalista Cándido Ríos, mas contra os homens que o acompanhavam.


Em 2001, Cándido Ríos havia sido detido, preso e torturado e prestou queixa inúmeras vezes contra o antigo prefeito de Hueyepan. A Procuradoria Geral de Veracruz, por seu lado, havia aberto um inquérito em 2012, após Cándido Ríos ter sido vítima de agressões, segundo as informações da Comissão encarregada da proteção aos jornalistas de Veracruz (CEAP).


"Esta nova tragédia confirma a urgência com que as autoridades federais devem reformar o mecanismo de proteção dos jornalistas, que mais uma vez mostrou sua ineficácia", declarou Emmanuel Colombié, diretor de Escritório da RSF para a América Latina. Os investigadores devem identificar o mais rapidamente possível os responsáveis intelectuais por essa execução, privilegiando a pista profissional".


O México é considerado um dos países mais perigosos do mundo para a imprensa, e Veracruz é o estado mais perigoso do país: Cándido Ríos Vázquez é o 22o jornalista assassinado em Veracruz desde o ano 2000.


Em seu relatório “Veracruz, os jornalistas diante do medo”, publicado em 2 de fevereiro de 2017, a RSF detalha as falhas dos sistemas de proteção no México e propõe uma série de recomendações para melhorar a situação.


O México ocupa o 147o lugar em 180 no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa estabelecido pela RSF em 2017.