Notícia

3 Agosto 2020

Um jornalista e seu guarda-costas são assassinados no México

O jornalista Pablo Morrugares e o policial que fazia a sua segurança foram friamente executados no estado de Guerrero. Este é o quarto jornalista assassinado no país desde o início do ano.

O jornalista e diretor do site PM Noticias, Pablo Morrugares, foi morto por homens fortemente armados que invadiram um restaurante no domingo, 2 de agosto, à uma da manhã, no município de Iguala, estado de Guerrero, no sul do país. Ameaçado de morte desde 2015 e sob proteção do governo, o jornalista estava acompanhado de um policial que fazia sua segurança no momento do ataque. O policial também foi morto pelos agressores.


Pablo Morrugares investigava, principalmente, a atividade de grupos criminosos na região. Entre suas publicações recentes, estão uma reportagem sobre a prisão provisória de dois suspeitos de homicídio e outra sobre uma emboscada contra a polícia, organizada por uma grupo criminoso. 

"A Repórteres sem Fronteiras exorta as autoridades a investigar exaustivamente o assassinato do jornalista Pablo Morrugares e de seu guarda-costas, declarou Emmanuel Colombié, diretor do escritório da RSF para a América Latina. É fundamental que os responsáveis por este duplo assassinato sejam levados à justiça e que lutemos contra a impunidade nesse tipo de crime, que alimenta ainda mais a violência direcionada a jornalistas no país."


Este é o quarto jornalista assassinado no México desde o início do ano e o segundo no estado de Guerrero. O jornalista Víctor Fernando Álvarez Chávez foi dado como desaparecido no dia 1o de abril de 2020. Dez dias depois, a Procuradoria do Estado oficializou sua morte. No norte do México, o jornalista Jorge Miguel Armenta Ávalos foi assassinado em 16 de maio de 2020, também enquanto estava sob proteção governamental. A jornalista Maria Elena Ferral Hernández foi morta no dia 30 de março no estado de Veracruz.


Em 2019, dez jornalistas foram mortos em decorrência da sua atividade profissional no país, um dos mais perigosos do mundo para a profissão. 


O México está classificado em 143º entre 180 países no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa 2020 publicado pela RSF.