Notícia

16 Março 2017

Síria: 211 jornalistas mortos desde que começou o conflito

Em seis anos de conflito na Síria, 211 jornalistas e jornalistas cidadãos foram mortos no país. A Repórteres sem Fronteiras (RSF) insta as diferentes partes no conflito a proteger os jornalistas que fazem cobertura da guerra.

Há muitos anos que a Síria é o país mais perigoso do mundo para os jornalistas e os jornalistas cidadãos, pegos no fogo cruzado entre as forças do regime de Assad e seus aliados, o Estado Islâmico, uma miríade de grupos jihadistas radicais e forças curtas. As intimidações, as detenções arbitrárias, os sequestros e os assassinatos são comuns, e dão conta de uma imagem espantosa.


Esses são os números do jornalismo na Síria:


Jornalistas mortos


Desde 2011: 211 jornalistas e jornalistas cidadãos


Apenas em 2016: 19 jornalistas e jornalistas cidadãos


Presos até o momento


O menos 26 jornalistas e jornalistas cidadãos


Sequestros e jornalistas desaparecidos


Ao menos 21 jornalistas e jornalistas cidadãos sírios, e 7 estrangeiros


A Síria ocupa a 177a posição, entre 180 países, no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa de 2016 da Repórteres sem Fronteiras.