Notícia

4 Agosto 2017

RSF lança com outras 20 organizações site para monitorar as violações da liberdade de imprensa nos EUA

SAUL LOEB / AFP
Uma coalizão de mais de 20 organizações, entre as quais a RSF, lança hoje uma ferramenta de monitoramento da liberdade de imprensa nos Estados Unidos: o U.S. Press Freedom Tracker, um novo site independente com o objetivo de registrar os abusos dessa natureza no país.

Capitaneado pelo Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) e pela Fundação da Liberdade de Imprensa, o site vai documentar os atendados à liberdade de imprensa em um contexto cada vez mais tenso para os jornalistas nos Estados Unidos. A Repórteres sem Fronteiras (RSF) atua em seu comitê diretor.


Ao longo dos últimos meses, vários jornalistas foram acusados de crimes quando simplesmente cobriam manifestações em Washington D.C., ou em Dakota do Norte. Outros foram detidos na fronteira e tiveram seu material revistado, enquanto outros ainda eram agredidos fisicamente, como no caso de Ben Jacobs, por um candidato ao Congresso. Segundo os dados já disponíveis nessa plataforma online, 19 jornalistas foram detidos no exercício de suas funções em 2017 e pelo menos 10 estão sendo processados. Desde o início de 2017, ao menos quatro jornalistas foram também detidos na fronteira e 11 sofreram ataques físicos. Esses números podem aumentar com a chegada de novas informações.


"Os Estados Unidos possuem um dos melhores arsenais jurídicos do mundo para a proteção da liberdade de imprensa e gozam de uma paisagem midiática sólida e variada, mas nada está garantido. A hostilidade expressa abertamente, as ameaças de processo e as prisões criaram um clima instável para os jornalistas", declarou Alex Ellerbeck, pesquisador encarregado dos Estados Unidos no Comitê para a Proteção dos Jornalistas e presidente do comitê diretor do U.S. Press Freedom Tracker. "É urgente que tenhamos consciência, de maneira profunda e honesta, dos obstáculos à liberdade de imprensa nesse país."


"A RSF está feliz de fazer parte dessa coalizão num momento em que se observa um alarmante declínio da liberdade de imprensa nos Estados Unidos, explica Delphine Halgand, diretora do escritório da RSF para a América do Norte. Essa tendência se reflete no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa publicado pela RSF em 2017, onde os Estados Unidos caíram duas posições e ocupam agora o 43o lugar. O tracker é uma ferramenta excelente que permite ter acesso a informações detalhadas sobre esse recuo."


Os dados coletados pelo U.S. Press Freedom Tracker são oriundos de artigos da imprensa e de informações fornecidas por jornalistas, organizações profissionais e órgãos de defesa da liberdade de imprensa. Esses dados servirão para a redação de comunicados e dossiês jurídicos, assim como para a organização de campanhas de mobilização.


"Diante da guerra cada vez mais intensa conduzida pelo governo Trump contra as mídias, essa iniciativa chega em um momento crucial", declarou Trevor Timm, diretor da Fundação da Liberdade de Imprensa. "Achamos essencial colocar em evidência as ameaças que pairam sobre a liberdade de imprensa nos Estados Unidos e lembrar o trabalho dos jornalistas, graças aos quais o governo pode ser responsabilizado por seus atos."


A Fundação da Liberdade de Imprensa dirige as operações cotidianas do U.S. Press Freedom Tracker com a ajuda do grande repórter Peter Sterne, que desempenha a função de redator chefe. A CPJ assumiu, por sua vez, o financiamento inicial do projeto e supervisiona o comitê diretor. Além da RSF, o comitê diretor é composto por representantes das seguintes organizações: Reporters Committee for Freedom of the Press, Knight Institute at Columbia University e Index on Censorship. Para uma lista completa dos parceiros, consulte o site.