Notícia

4 Julho 2019 - Atualizado a 5 Setembro 2019

A RSF e parceiros lançam consulta pública sobre a Journalism Trust Initiative

A Repórteres Sem Fronteiras (RSF) e seus parceiros AFP, EBU e GEN têm o prazer de anunciar o lançamento de uma consulta pública sobre sua Journalism Trust Initiative (JTI) em 3 de julho. A JTI visa definir indicadores para o jornalismo confiável. Espera-se que a conformidade com tais indicadores forneça benefícios tangíveis para os meios de comunicação, grandes e pequenos, e, assim, apoie-os para atender a um espaço de informação saudável em geral.
  • Uma nova lógica para recompensar a conformidade com normas profissionais
  • Uma definição de indicadores para fontes confiáveis de informação
  • Um benchmark de conduta ética e transparência
  • Uma solução inovadora de autorregulação elaborada por 120 especialistas
  • Uma consulta pública de três meses irá contribuir para as normas finais

 

 

Desde maio de 2018, mais de 120 especialistas, representantes de mídia global, nacional e local, associações de consumidores, empresas de tecnologia, reguladores e ONGs têm trabalhado no desenvolvimento de normas profissionais no âmbito da Journalism Trust Initiative (JTI), lançada pela Repórteres sem Fronteiras (RSF) com os seus parceiros, a União Europeia de Radiodifusão (EBU), a Agence France Presse (AFP) e a Rede Global de Editores (GEN). No início de junho deste ano, durante um terceiro Workshop da JTI na sede da EBU em Genebra (Suíça), os participantes registrados adotaram um documento oficial de Normas que define indicadores para o jornalismo confiável. Esse documento veio a público em 3 de julho, ao passo que uma consulta pública é lançada sob a égide do Comitê Europeu de Normalização (CEN).

           

De acordo com as diretrizes do CEN, os indicadores da JTI foram desenvolvidos por consenso ao longo de três Oficinas facilitadas pela AFNOR, o organismo de normalização francês, e apoiadas pela organização-irmã alemã DIN. Três comitês de redação encarregados de editar o texto consistiam de jornalistas e profissionais de mídia apenas para garantir a natureza autorregulatória da JTI. Uma chamada Força Tarefa Técnica adicional prestou consultoria sobre sua interoperabilidade algorítmica. Outros grupos de participantes, como organizações de desenvolvimento de mídia, reguladores e empresas de tecnologia, contribuíram com suas demandas e pontos de vista sobre como o instrumento da JTI poderia ser aplicado mais adiante. A Federação Mundial de Anunciantes (WFA) endossou o projeto e acompanhou seu progresso continuamente.

 

Um esboço do Acordo do Workshop CEN está disponível para download no site do Comitê Europeu de Normalização (CEN). Ele inclui uma lista de critérios sobre transparência, profissionalismo e conduta ética considerados pelas partes integrantes da JTI como as melhores práticas essenciais para que se confie nos meios de comunicação. Além disso, o documento fornece um questionário traduzindo as cláusulas das Normas em uma lista de verificação, que é legível por máquina, a fim de informar a distribuição algorítmica de notícias.

 

A consulta pública sobre esse esboço é uma característica essencial para garantir o apoio mais amplo possível ao documento finalmente publicado e, de agora até outubro, a Journalism Trust Initiative espera por feedback sobre sua proposta. O público em geral, assim como as comunidades profissionais, são convidados a fornecer opiniões e propostas específicas de emendas a cada uma das 16 cláusulas, numerosas sub-cláusulas e a checklist anexa. Os meios para fornecer feedback incluem um formulário de comentários já disponível no site do CEN e um endereço de e-mail dedicado [email protected]. Além disso, uma ferramenta online interativa será desenvolvida. Seguindo as diretrizes do CEN, todos os comentários recebidos serão avaliados pelos comitês de redação da JTI e depois incorporados a uma revisão final do Acordo do Workshop e sua divulgação no final do ano.

 

Após a publicação final do documento da JTI no início de 2020, ele será disponibilizado a todos os tipos de meios de comunicação para autoavaliação e auditoria adicional opcional, a chamada avaliação de conformidade. Os conjuntos de dados resultantes devem informar melhor a tomada de decisões sobre distribuição e consumo de notícias, tanto por humanos quanto por algoritmos, mas também de gastos com publicidade, recompensando assim o jornalismo digno desse nome. Estava faltando um instrumento que facilitasse essa lógica, até agora, e a JTI decidiu fornecê-lo de uma forma totalmente inclusiva e autorregulatória - originada por jornalistas para jornalistas, mas com uma aliança mais ampla de outras partes interessadas que a apoiam. A consulta pública destina-se a ampliar o leque de participação e, eventualmente, a legitimidade da Journalism Trust Initiative.

 

Distinguindo-se de outros projetos em torno de indicadores de confiança, a JTI concentra-se no processo - ou no nível de "fabricação" do jornalismo - apenas, não em partes isoladas de conteúdo. Os meios de comunicação estariam em conformidade com a norma como uma entidade, por exemplo, fornecendo transparência de propriedade, fontes de receita e prova de uma série de salvaguardas profissionais. Pela primeira vez, acrescenta-se uma lógica de recompensa ao cumprimento dos princípios do jornalismo já existentes.

 

Os participantes selecionados na fase de desenvolvimento da Norma JTI incluem, sem ordem particular, BBC, Grupo RTL (Luxemburgo), Gazeta Wyborcza (Polônia), Tagesspiegel (Alemanha), Tamedia (Suíça), Norsk Rikskringkasting (NRK, Noruega), Agência de Notícias TT (Suécia), Associated Press (EUA), Deutsche Presse Agentur (dpa, Alemanha), World Wide Web Consortium (W3C), Google, Facebook, City University of New York (CUNY, EUA), Swiss Press Council, Association de Jornalistas Taiwaneses, Associação de Jornalistas da Coreia do Sul, Monitor Independente para a Imprensa (IMPRESS, Reino Unido), Autorità per le Garanzie neli Comunicazioni (AGCOM, Itália), Comissário do Governo Federal para a Cultura e os Meios de Comunicação Social (BKM, Alemanha), Associação Europeia para a Coordenação de Representação de Consumidores em Normalização (ANEC), Internews (Reino Unido), Thomson Foundation (Reino Unido), Free Press Unlimited (FPU, Países Baixos), Fondation Hirondelle (Suíça), Civil (EUA), NewsGuard, Índice de Desinformação Global (GDI), Organização Educacional, Científica e Cultural das Nações Unidas (UNESCO).  


 Citações e Depoimentos:
 


“Não é complicado definir os princípios básicos de jornalismo. Muitos códigos de ética existem desde que o jornalismo existe. O grande problema é a distribuição algorítmica do conteúdo online, porque não inclui um “fator de integridade” e amplifica tudo o que contraria essas normas profissionais - sensacionalismo, rumores, falsidades e ódio. Portanto, as melhores práticas existentes do comércio jornalístico precisam ser aplicadas ao código da Internet. Essa é uma condição para reverter sua lógica, recompensando e, eventualmente, monetizando novamente a conformidade com essas normas. A JTI é o elo perdido entre princípios e métodos jornalísticos de um lado e algoritmos do outro.”Christophe Deloire – Secretário Geral, Repórteres sem Fronteiras (RSF)


 

“Entendemos que há uma demanda substancial por esses indicadores, do lado das grandes plataformas, dos anunciantes, mas também dos reguladores e do próprio setor de mídia, mas o processo de desenvolvê-los deve ser totalmente autorregulado. Não queremos que governos, reguladores, anunciantes ou grandes empresas digam o que é bom ou mau jornalismo e, portanto, devemos ser nós, a comunidade de jornalistas, a assumir a liderança!”Bertrand Pecquerie – CEO da Global Editors Network (GEN)


 

"É essencial responder adequadamente à desconfiança pública dos meios de comunicação, oferecendo aos cidadãos marcos e selos visíveis na Web para distinguir facilmente o conteúdo confiável. Para nós, como agência de notícias, a funcionalidade da solução no dia-a-dia é fundamental e é extremamente importante, para todos nós que trabalhamos na JTI, propor uma solução que atenda aos interesses dos cidadãos em primeiro lugar. Qualquer norma está sujeita a revisão constante, particularmente em setores com rápida evolução, e esperamos que esta não seja uma exceção, mas temos que começar em algum lugar e temos que fazê-lo agora. ”Phil Chetwynd – Diretor Global de Notícias, Agence France Presse (AFP)

 

 


“Após muitos meses de trabalho, a EBU recebe com satisfação a oportunidade de as partes interessadas oferecerem seus comentários sobre as normas desenvolvidas por nossa ampla coalizão de parceiros do setor e membros da EBU. Estamos todos comprometidos em criar um ambiente onde as organizações de mídia comprometidas com a produção de jornalismo confiável de qualidade sejam valorizadas e visíveis. Proteger esse jornalismo, que se baseia nos fortes princípios da mídia de serviço público de Precisão, Independência, Imparcialidade, Equidade, Transparência e Responsabilização, está no coração deste projeto. Agora é a hora de ver como essas normas podem operar em um nível prático, então essa iniciativa pode ter um impacto real, ajudando a indústria e o público a identificar jornalismo de qualidade em meio à desinformação.” Noel Curran – Diretor Geral da European Broadcasting Union (EBU)

 

  

Sobre:

Fundada em 1985, a Repórteres sem Fronteiras (RSF) tornou-se uma das principais ONGs do mundo na defesa e promoção da liberdade de informação. A RSF está registrada na França como uma organização sem fins lucrativos e tem status consultivo junto às Nações Unidas, UNESCO, o Conselho da Europa e a Organização Internacional da Francofonia. Com sede em Paris, possui catorze agências internacionais (Berlim, Bruxelas, Dakar, Genebra, Helsinque, Londres, Madri, Rio de Janeiro, Estocolmo, São Francisco, Taipei, Túnis, Viena e Washington, DC) e conta com mais de 150 correspondentes em 130 países, nos cinco continentes. Saiba mais sobre a RSF em www.rsf.org


A Global Editors Network (GEN) é a associação mundial de editores-chefe fundada em 2011. "Prototipar o futuro das notícias" é o nosso lema, com a missão de promover a inovação digital e novos métodos de contar histórias em salas de redação e além, para todos os provedores de conteúdo. A GEN está comprometida com o jornalismo de qualidade, padrões éticos e um ecossistema de notícias sustentável na era da plataforma. A GEN procura capacitar executivos de notícias por meio de seus programas dedicados: O Editors Lab, o Data Journalism Awards e o projeto Media Literacy Toolkit. A cúpula anual GEN Summit reúne algumas das principais figuras do setor em todo o mundo para aprendizado entre pares e colaboração orientada a soluções. Mais de 650 participantes de 60 países participam dela, tornando-se a principal conferência editorial do mundo. A comunidade da GEN inclui mais de 15 mil editores, jornalistas e inovadores de mídia de todo o mundo. Saiba mais no Twitter @GENinnovate.

 

A European Broadcasting Union (EBU) é a principal aliança mundial de mídia de serviço público (PSM). Nossa missão é tornar a PSM indispensável. Representamos 117 organizações de mídia em 56 países da Europa, Oriente Médio e África e temos outros 34 associados na Ásia, África, Australásia e nas Américas. Nossos membros operam cerca de 2 mil canais de televisão e rádio, além de várias plataformas on-line. Juntos, eles alcançam audiências de mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo, transmitindo em mais de 160 idiomas. Esforçamo-nos para garantir um futuro sustentável para os meios de comunicação de serviço público, fornecer aos nossos membros conteúdo de classe mundial, desde notícias a esportes e música, e contar com nosso espírito fundador de solidariedade e cooperação para criar um centro de aprendizado e compartilhamento.

 

Nossa subsidiária, a Eurovision Services, tem como objetivo ser a primeira escolha como provedora de serviços de mídia, oferecendo maneiras novas, melhores e diferentes de acessar e distribuir conteúdo e serviços de maneira simples, eficiente e transparente. Temos escritórios em Bruxelas, Roma, Dubai, Moscou, Nova York, Washington DC, Cingapura e Pequim. Nossa sede fica em Genebra. Descubra mais sobre a EBU em www.ebu.ch  

 

A Agence France-Presse (AFP), fundada em 1835 como Agence Havas, é a terceira maior agência internacional de notícias do mundo, oferecendo uma cobertura rápida, precisa e profunda dos eventos que moldam nosso mundo, dos conflitos à política, economia, esportes, entretenimento e as últimas descobertas em saúde, ciência e tecnologia. É uma entidade autônoma criada pelo parlamento francês (Lei N ° 57-32 de 10 de janeiro de 1957) cuja operação é assegurada com base em regras comerciais. Sua independência está no centro de suas obrigações fundamentais estabelecidas em seu estatuto (artigo 2). Seu Presidente representa a Agência e se encarrega de sua administração geral. A AFP é administrada por um conselho de dezoito diretores composto de representantes de editores, de empresas de radiodifusão, de três representantes do governo como usuários de serviços públicos, de membros de sua equipe e de indivíduos qualificados escolhidos por seu conselho superior por seus conhecimentos sobre mídia e tecnologias digitais, habilidades econômicas e gerenciais. A AFP tem o dever de cumprir missões de interesse geral no campo das notícias e deve, em toda a extensão de seus recursos, desenvolver suas atividades com vistas a fornecer aos usuários serviços de informação precisos, imparciais e confiáveis.

 

CEN, o Comitê Europeu de Normalização, é uma associação que reúne os organismos nacionais de normalização de 34 países europeus. O CEN é uma das três Organizações Europeias de Normalização (juntamente com o CENELEC e o ETSI) que foram oficialmente reconhecidas pela União Europeia e pela Associação Europeia de Livre Comércio (EFTA) como responsáveis pelo desenvolvimento e definição de normas voluntárias no âmbito europeu. O CEN fornece uma plataforma para o desenvolvimento de Normas Europeias e outros documentos técnicos relacionados com vários tipos de produtos, materiais, serviços e processos. Ele apoia atividades de normalização relacionadas a uma vasta gama de domínios e setores, incluindo: aéreo e espacial, produtos químicos, construção, produtos de consumo, defesa e segurança, energia, meio ambiente, alimentos e rações, saúde e segurança, cuidados de saúde, TIC, maquinário, materiais, equipamentos sob pressão, serviços, smart living, transporte e embalagem.


Mais Informações:  

●    JTI no site do CEN

   

Contatos de imprensa:  

●    Sophie Minodier, Diretora de Comunicação da RSF | Tel. +33 1 44 83 84 57 | [email protected]

●    Anne Raynaud, Editora-chefe Técnica da AFP | [email protected]

●    Dave Goodman, Diretor Sênior de Comunicação da EBU | Tel. +41 79 634 90 97 | [email protected]

●    Ana Lomtadze, Diretora de Comunicação da GEN | [email protected]

●    Giovanni Collot, Gerente de Projetos, Estratégia e Governança do CEN | Tel. +32 2 550 08 81 | [email protected]