Notícia

30 Novembro 2020

Reino Unido: RSF pede a libertação urgente de Julian Assange com o aumento de infecções por Covid na prisão de Belmarsh

A Repórteres sem Fronteiras (RSF) pede a libertação urgente do editor do Wikileaks, Julian Assange, devido ao aumento alarmante de infecções por Covid-19 na prisão de Belmarsh. Assange é mantido em sua cela 24 horas por dia desde 18 de novembro e perdeu uma audiência marcada para 26 de novembro.

A RSF tentou monitorar a audiência preliminar agendada para 26 de novembro no Tribunal de Magistrados de Westminster, mas o procedimento foi adiado para 11 de dezembro. Os advogados de Assange informaram que, diante do acelerado aumento de infecções por Covid na prisão de Belmarsh, não era seguro levá-lo à sala de videoconferência para comparecer perante o tribunal - uma preocupação que também impediu Assange de participar de audiências durante o lockdown, no início do ano.

 

Stella Moris, companheira de Assange, relatou que um total de 56 casos de Covid-19 foram confirmados na ala da prisão de Belmarsh em que Assange se encontra, entre prisioneiros e funcionários. Segundo ela, Assange permanece confinado em sua cela 24 horas por dia há nove dias consecutivos, desde 18 de novembro, exceto por 20 minutos do lado de fora no dia 23.

 

“Estamos alarmados com relatos de um rápido aumento nas infecções de Covid na prisão de Belmarsh, fazendo com que, na prática, Julian Assange esteja submetido a um regime de solitária. Seu histórico de saúde física e mental o deixa muito vulnerável e é claramente inseguro para ele permanecer detido nessas condições. Continuamos a pedir pela libertação incondicional de Assange, mas esta situação torna ainda mais urgente a necessidade de sua libertação humanitária sem mais demoras”, disse Rebecca Vincent, Diretora de Campanhas Internacionais da RSF.

 

Assange tem um histórico de infecções respiratórias que o colocam em alto risco se exposto à Covid-19, bem como um histórico de problemas de saúde mental - incluindo depressão e pensamentos suicidas frequentes - que podem piorar em condições de confinamento prolongado em sua cela. Em 2 de novembro, um prisioneiro que, supostamente, era amigo de Assange e que era mantido na mesma ala da prisão de Belmarsh cometeu suicídio - incidente que ainda está sendo investigado.

 

A próxima audiência no Tribunal de Magistrados de Westminster, em 11 de dezembro, será a última antes que a decisão de extradição seja proferida no Tribunal Criminal Central (Old Bailey), em 4 de janeiro de 2021.

 

A RSF foi a única ONG a monitorar as quatro semanas de procedimentos de extradição contra Assange no Old Bailey em setembro, apesar das severas restrições impostas aos observadores pelo tribunal. Após esses procedimentos, o tribunal parou de compartilhar detalhes de acesso remoto com observadores de ONGs, mesmo para as audiências preliminares mensais - o que significa que, apesar do atual lockdown nacional no Reino Unido, a única opção para monitorar o processo é pessoalmente. 

 

O Reino Unido ocupa a 35a posição entre 180 países listados no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa de 2020 da RSF.