Notícia

8 Agosto 2015 - Atualizado a 16 Outubro 2016

O radialista Gleydson Carvalho assassinado durante programa ao vivo


O jornalista Gleydson Carvalho foi abatido por dois homens armados enquanto apresentava seu programa de rádio, na quinta-feira, dia 6 de agosto, no Ceará (norte). Há anos que denunciava a corrupção de políticos da região.


Dois indivíduos empunhando armas de fogo irromperam nos estúdios da Rádio Liberdade FM, sediada na localidade de Camocim (Ceará), às 12:40 do dia 6 de agosto. Um deles disparou várias vezes contra o radialista Gleydson Carvalho durante uma pausa musical no decorrer do programa. Os dois homens fugiram em uma moto. O jornalista faleceu poucos minutos depois no caminho do hospital.


Repórteres sem Fronteiras denuncia esta horrorosa execução e exorta as autoridades locais e nacionais a identificarem e julgarem o mais depressa possível os responsáveis por esse assassinato, declara Emmanuel Colombié, responsável da seção Américas de RSF. Trata-se do quarto jornalista assassinado desde o início do ano, o que torna o Brasil o terceiro país mais perigoso do continente para a profissão. Mais uma vez, o alvo foi um jornalista que se interessava pela questão da corrupção, um dos principais flagelos do país.


Gleydson Carvalho era conhecido por suas posições contra o governo do estado do Ceará. Seu programa era muito popular e nele denunciava regularmente a corrupção da classe política brasileira. De acordo com sua família e amigos, já havia recebido numerosas ameaças de morte e estava consciente de que suas acusações lhe traziam muitos “inimigos”.


O Brasil se encontra na 99ª posição, entre 180 países, na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa de Repórteres sem Fronteiras, publicada em fevereiro de 2015.