Notícia

3 Maio 2021

Grande campanha internacional lançada em solidariedade à jornalista Maria Ressa

Por ocasião do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa de 2021, celebrado em 3 de maio, a Repórteres sem Fronteiras (RSF) e a coalizão #HoldTheLine lançam uma campanha de solidariedade sem precedentes em favor da jornalista filipina Maria Ressa, que corre o risco de ser condenada à prisão perpétua em seu país. Um site exclusivo (www.holdthelineformariaressa.com) reúne centenas de vídeos, gravados por personalidades influentes e apoiadores que responderam a um chamado público. Eles serão veiculados em loop até que todas as acusações contra Maria Ressa e o site de notícias Rappler sejam retiradas.

Como parte de uma campanha de ação global sem precedentes, organizada pela RSF e pela coalizão #HoldTheLine, centenas de personalidades enviaram vídeos expressando seu apoio à fundadora e diretora do site de notícias online Rappler, Maria Ressa, cuja corajosa prática jornalística e compromisso com a liberdade de imprensa lhe renderam o Prêmio Mundial da Liberdade de Imprensa Unesco/Guillermo Cano deste ano e o título de "Pessoa do Ano 2018" da revista TIME.

 

Desenvolvida em colaboração com a agência de publicidade francesa BETC, a página disponibiliza em loop contínuo conteúdos que serão transmitidos até que o governo filipino retire todas as acusações e pressões contra Maria Ressa e o site Rappler.



 

Defensores de direitos humanos, jornalistas, artistas, advogados e políticos de todo o mundo gravaram contribuições. Entre eles, a advogada sul-africana que ocupou o cargo de Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Navi Pillay; o vencedor do Prêmio Nobel de Economia, Joseph Stiglitz; o dissidente chinês, ativista durante as manifestações em Tiananmen, Wu'er Kaixi; o jornalista australiano que foi preso no Egito, Peter Greste; e a editora-chefe do The Guardian, Katherine Viner. O público também é convidado a apoiar Maria Ressa por meio da publicação de vídeos próprios de apoio no site, para que sejam integrados ao loop.

 

“Os ataques violentos do regime do presidente Duterte contra Maria Ressa são ataques contra o jornalismo, mas também contra a democracia'', declarou o secretário-geral da RSF, Christophe Deloire. "Há vários anos, a RSF se mobiliza para apoiar essa corajosa jornalista. Hoje, conclamamos pessoas em todo o mundo a se juntar a nós para defendê-la e protegê-la da ameaça, cada vez maior, de uma sentença de prisão perpétua."

 


 

Maria Ressa está sendo processada em pelo menos nove casos nas Filipinas e, em dois anos, teve dez mandados de prisão emitidos contra ela. Entre as acusações estão três processos por difamação e outros de evasão fiscal. Maria Ressa foi considerada culpada de uma primeira acusação de difamação em junho de 2020. Se tal decisão não for revogada no âmbito do recurso apresentado, a jornalista será condenada a seis anos de prisão. Se todas as acusações contra Maria Ressa forem confirmadas, a jornalista corre o risco de prisão perpétua.

 

A #HoldTheLine é uma coalizão internacional formada em apoio a Maria Ressa e aos meios de comunicação independentes nas Filipinas. Reúne mais de 80 grupos coordenados pelo Comitê para a Proteção de Jornalistas (CPJ), o International Centre for Journalists (ICFJ) e a Repórteres sem Fronteiras (RSF).

 

Quem quiser apoiar Maria Ressa também pode assinar e divulgar a petição da #HoldTheLine apelando ao governo filipino para que retire todas as acusações contra ela e o site Rappler.

 

As Filipinas ocupam o 138o lugar entre 180 países no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa 2021, elaborado pela RSF.




VISITE O SITE EM APOIO A MARIA RESSA