Notícia

15 Julho 2019

Filipinas: Radialista é assassinado a tiros quando voltava para casa

Des proches des 32 journalistes assassinés il y a dix ans sur l’île de Mindanao défilent avec des torches à Manille, le 23 novembre 2015, pour dénoncer l’impunité généralisée pour les crimes commis contre les journalistes aux Philippines. Eduardo “Ed” Dizon (gauche) est le treizième journaliste philippin assassiné depuis l’arrivée au pouvoir du président Rodrigo Duterte (photos : ABS-CBN - Noel Celis / AFP).
A Repórteres sem Fronteiras (RSF) pede às autoridades filipinas que façam todo o possível para identificar e levar à justiça os responsáveis pelo assassinato de Eduardo Dizon. O radialista, que havia sido ameaçado recentemente, ficou conhecido por denunciar corajosamente um esquema de fraudes envolvendo uma seita religiosa.

Dois indivíduos em uma moto dispararam cinco vezes contra Eduardo Dizon, no dia 10 de julho, por volta das 22h45, enquanto ele dirigia para casa em Makilala, na ilha sudeste de Mindanao. O assassinato ocorreu pouco depois do jornalista apresentar seu programa “Tira Brigada”, da Brigada News FM, na cidade de Kidapawan.

O Grupo Brigada, proprietário da estação de rádio, afirmou em um comunicado que acredita que o assassinato de Dizon  foi resultado da “sua incansável luta contra indivíduos inescrupulosos e organizações envolvidas em empreendimentos ilegais" na região de Kidapawan. Uma ameaça, aparentemente referindo-se a Dizon, foi deixada na estação de rádio na semana anterior: “Cuidado, Brigada, porque você vai morrer, apenas espere, alguém vai atirar em você.

Eduardo Dizon é o 13° jornalista assassinado nas Filipinas desde que Rodrigo Duterte se tornou presidente”, afirmou Daniel Bastard, diretor do escritório da RSF na Ásia-Pacífico. “É hora de acabar com esse ciclo inaceitável de violência contra profissionais da mídia. O governo alega ter criado uma ‘força-tarefa sobre segurança de mídia’, mas essa força-tarefa praticamente não produziu resultados. A investigação sobre o assassinato de Eduardo Dizon será vista como um teste. A impunidade deve acabar.”

Dizon, conhecido com “Kabrigada Ed”, registrou uma queixa em 4 de julho sobre uma ameaça de morte feita contra ele um dia antes, na estação de rádio Gold FM, por Dante Tabosares, também conhecido por “Bong Encarnacion”, apoiador fervoroso de um grupo religioso chamado Ministério Kapa. Esse grupo é acusado de persuadir pessoas de toda a Ilha Mindanao para investir milhões de pesos em um esquema “Ponzi” fraudulento, que foi revelado por Dizon recentemente.

As Filipinas está na 134° posição de 180 países na Classificação Mundial de Liberdade de Imprensa da RSF 2019.