Notícia

3 Novembro 2020

EUA - Diante do dia de eleição, dezenas de candidatos se comprometem a proteger a liberdade de imprensa ao assinar o Pacto pela Liberdade de Imprensa da RSF

RSF / BETC
Ante a votação de 3 de novembro, a Repórteres sem Fronteiras (RSF) obteve dezenas de adesões ao Press Freedom Pact, o Pacto pela Liberdade de Imprensa, um compromisso de candidatos que concorrem a cargos eletivos nos Estados Unidos a reafirmar publicamente os princípios de liberdade de imprensa consagrados pela Primeira Emenda.

Com pouco menos de 50 palavras, o Pacto pela Liberdade de Imprensa da RSF exorta os líderes políticos dos EUA a aproveitar esta eleição como uma oportunidade para começar a restaurar o histórico da nação no que tange a liberdade de imprensa - em solo americano e no exterior.

 

A lista de signatários inclui três titulares em exercício - os deputados Adam Schiff (D-CA), Jamie Raskin (D-MD) e Gerald Connolly (D-VA) - e outros mais de 40 candidatos de todos os partidos que disputam cargos pelo país. A RSF agradece a todos os candidatos que assinaram o pacto e aplaude seus esforços para defender o papel vital da imprensa livre na democracia americana.  A lista completa de signatários pode ser visualizada na página da campanha

 

“Ficamos motivados por contar com o apoio de dezenas de candidatos que se comprometeram a assumir a liderança para reverter o preocupante cenário de liberdade de imprensa dos Estados Unidos. Desafiamos todos os candidatos - independentemente de filiação partidária - a se juntarem a eles assinando o pacto. Nunca houve uma necessidade tão urgente de ações concretas para proteger os jornalistas e defender a liberdade de imprensa, no país e no exterior”, declarou Rebecca Vincent, Diretora de Campanhas Internacionais da RSF. 

 

Só nas últimas duas semanas, a retaliação do governo contra o jornalismo independente cresceu. Em 22 de outubro, o presidente Trump violou seu acordo com a CBS News, liberando antecipadamente trechos de sua entrevista ao programa 60 Minutes, em um gesto de retaliação à jornalista Lesley Stahl. Depois da entrevista, Stahl recebeu ameaças de morte, junto a sua família, e passou a viver sob proteção policial. No mesmo período, o CEO da US Agency for Global Media, Michael Pack, revogou a regulamentação editorial de “firewall” que protegia de interferência política a independência jornalística da Voice of America e outras redes. Além disso, o Departamento de Segurança Interna quase finalizou um projeto muito preocupante que restringe os vistos para jornalistas estrangeiros de cinco anos a apenas 240 dias.

 

A RSF pede novamente que todos os candidatos que concorrem a cargos eletivos se juntem aos quase 50 signatários do Pacto pela Liberdade de Imprensa para defender os meios de comunicação independentes de interferência política indevida, intimidação e ataques. A RSF também incentiva o público a se mobilizar, instando candidatos que concorrem em âmbito local, estadual ou federal a garantir seu apoio à proteção da liberdade de imprensa, ao assinar o pacto. 

 

Os Estados Unidos ocupam o 45o lugar entre 180 países no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa de 2020 da RSF.

 

Observação:

Para obter mais informações sobre o #PressFreedomPact, o Pacto pela Liberdade de Imprensa, visite a página da campanha no site da RSF ou entre em contato com o gerente de comunicações da RSF nos EUA, Collin Boylin, em [email protected] ou pelo telefone (202) 813-9497, ramal 3.