Notícia

17 Agosto 2020

Eleições nos EUA 2020: oito recomendações para proteger a liberdade de imprensa

Angela Weiss / AFP
Em resposta aos ataques contra a imprensa livre nos Estados Unidos nos últimos anos, a Repórteres sem Fronteiras (RSF) apresentou oito recomendações de políticas aos comitês, candidatos à presidência e candidatos ao congresso dos partidos Democrata e Republicano na corrida para as eleições nos EUA.

Os fundadores dos Estados Unidos reconheciam a imprensa livre como vital para a democracia americana e redigiram aquela que ainda é uma das mais fortes proteções da imprensa no mundo, na Primeira Emenda da Constituição. Apesar disso, o ambiente de liberdade de imprensa nos Estados Unidos variou nos últimos anos, com recusas de acesso, ameaças à proteção de denunciantes e fontes confidenciais, o declínio das notícias locais e, mais recentemente, ataques verbais e físicos contra jornalistas no centro das preocupações domésticas da imprensa americana. Na esfera internacional, os Estados Unidos abandonaram seu papel de campões da liberdade de imprensa, o que fortaleceu impulsos autoritários em outras nações.


"A imprensa tem sofrido ataques sem precedentes nos Estados Unidos nos últimos anos, como evidenciado, sobretudo, por uma crescente hostilidade contra os meios de comunicação e os jornalistas no país inteiro;" afirmou Christophe Deloire, secretário geral da RSF. "As próximas eleições apresentam uma oportunidade urgente de consertar o que foi danificado e fortalecer o Quarto Poder contra ataques futuros. À medida que os Estados Unidos avançam para as convenções nacionais em agosto e as eleições em novembro, é fundamental que os principais partidos políticos e os candidatos se comprometam com políticas concretas contra as ameaças à liberdade de imprensa."


As recomendações da RSF instam o presidente dos EUA a abordar publicamente a importância da imprensa nos seus 100 primeiros dias, para legisladores encomendarem relatórios sobre questões relacionadas à avaliação do estado da liberdade de imprensa nos EUA, e para o governo dos EUA aprovar uma lei federal de proteção das fontes jornalísticas confidenciais e fortalecer a política externa de forma a garantir a segurança de jornalistas no exterior, entre outras recomendações.


A lista completa de recomendações da RSF está disponível no documento abaixo, em PDF. Os Estados Unidos ocupam o 45 o lugar entre 180 países no Ranking Mundial da Liberdade deImprensa 2020.