Notícia

17 Agosto 2020

Comitê internacional de apoio a Khaled Drareni lança a campanha #WeAreKhaled

Após a pesada condenação de Khaled Drareni, pronunciada em 10 de agosto, o comitê de apoio ao jornalista decidiu ampliar a mobilização lançando a campanha de solidariedade #WeAreKhaled.

Chocadas e indignadas com o sentenciamento de Khaled Drareni a três anos de prisão em regime fechado e 50 mil dinares argelinos pelo tribunal de Sidi M'hamed de Alger, as organizações e personalidades que fazem parte do comitê de apoio ao jornalista não tardaram a reagir. Após reunir-se no dia seguinte ao veredito, o coletivo anunciou a instauração de uma grande campanha internacional de solidariedade chamada #WeAreKhaled.
 
Lançada, num primeiro momento, nas redes sociais, a campanha também será difundida na imprensa e por meio de cartazes afixados em edifícios públicos e outras plataformas físicas pelo mundo todo. Além disso, o comitê de apoio considera organizar eventos em grandes cidades ao redor do globo, assim que as férias de verão do hemisfério norte terminarem.

"Diante do caráter absurdo, arbitrário e violento da condenação de Khaled Drareni e em solidariedade ao jornalista, vítima de perseguição judicial por nada mais do que exercer o seu direito de informar com total independência, convidamos os internautas a substituir suas fotos de perfil pela imagem da campanha #WeAreKhaled e a manifestar seu apoio nos feeds das suas redes sociais", explicou o comitê.
 
Diretor do site de notícias Casbah Tribune e correspondente da TV5 Monde e da Repórteres sem Fronteiras (RSF) na Argélia, Drareni foi preso em março por "incitação a aglomeração não armada" e "atentado à unidade nacional", por sua cobertura das manifestações do Hirak. Durante o julgamento, a promotoria também o acusou de criticar o sistema político argelino no Facebook.

A Argélia ocupa o 146 o lugar da lista de 180 países da Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2020 da RSF. O país perdeu cinco posições em relação a 2019 e caiu 27, na comparação com 2015.