Níger

Níger

Preocupante erosão da liberdade de imprensa

Em um contexto internacional marcado pela luta contra o terrorismo, a situação da liberdade de informação no Níger se degradou, especialmente a partir de 2015. Prisões de jornalistas e entraves ao exercício da profissão foram detectados com a chegada das eleições presidenciais de fevereiro de 2016. O acesso às redes sociais, como Facebook e WhatsApp, assim como o envio de SMS, foram bloqueados por cerca de três dias. Os jornalistas continuam a ser julgados com base em artigos do código penal e não da lei de imprensa que descriminaliza os delitos de imprensa. Um jornalista conhecido por seu profissionalismo e sua visão crítica da gestão dos assuntos públicos foi condenado em julho de 2017 a dois anos de prisão em regime fechado e a 10 anos de privação de direitos civis e políticos. Outros jornalistas críticos também são alvo de assédio na Internet e tiveram suas licenças retiradas. Para compensar a precariedade econômica das mídias, o governo ainda tem dificuldade em facilitar o acesso das mídias privadas à publicidade e fornecer um verdadeiro serviço público à população nigeriana.

63
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2018

Posição

-2

61 em 2017

Pontuação global

+0.19

27.21 em 2017

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2018
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2018
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2018
Ver o Barômetro