Nicarágua

Nicarágua

Liberdade de imprensa despenca

Censura, intimidações, ameaças... A reeleição do presidente Daniel Ortega em novembro de 2016, pelo terceiro mandato consecutivo, foi acompanhada por uma série de ataques contra a mídia nicaraguense e, mais particularmente, contra a imprensa crítica ao governo. A profissão é totalmente estigmatizada no país, alvo frequente de campanhas de assédio, prisões arbitrárias e ameaças de morte. Durante manifestações, os repórteres nicaraguenses, considerados como partidários, são muitas vezes agredidos. Desde abril de 2018 e o agravamento da crise política no país, a repressão à imprensa independente se tornou feroz. Muitos jornalistas foram forçados ao exílio enquanto outros foram jogados na prisão, acusados de terrorismo. Nesse contexto de violência, a imprensa independente não alinhada, sofre com falta de recursos, inclsuive de equipamentos de proteção para as coberturas de maior risco.

114
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2019

Posição

-24

90 em 2018

Pontuação global

+5.12

30.41 em 2018

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2019
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2019
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2019
Ver o Barômetro