Mauritânia

Mauritânia

Um blogueiro condenado à morte por apostasia

Nos últimos anos, a Mauritânia havia alcançado grandes avanços em termos de liberdade de imprensa, com uma diminuição sensível das violências e intimidações contra jornalistas. Porém, desde 2014, a condenação à morte do blogueiro Mohamed Cheikh Ould Mohamed Mkhaïtir por apostasia e a recusa repetida das autoridades de agraciá-lo enviam uma clara mensagem de intimidação à imprensa. Além disso, a lei sobre crimes cibernéticos de dezembro de 2015 não abre exceção para a partilha e difusão de informações de interesse geral e prevê penas pesadas de prisão em caso de difamação. Ela também anula antigas leis que protegiam os jornalistas usuários de tecnologias digitais. Por medo de represálias, o essencial dos jornalistas se autocensuram quando precisam cobrir assuntos como corrupção, os militares, o Islã ou a escravidão - que ainda existe neste país.

55
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2017

Posição

-7

48 em 2016

Pontuação global

+2.46

24.03 em 2016

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2017
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2017
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2017
Ver o Barômetro