Malásia

Malásia

A imprensa independente considerada "sediciosa" pelo poder

Os jornais malaios devem renovar anualmente sua licença de funcionamento emitida pelo governo, devido à lei sobre imprensa e publicações impressas (PPPA). Os jornalistas e as mídias considerados independentes demais e críticos ao governo do primeiro ministro Najib Razak, ainda implicados no caso "1MDB", são vítimas de campanhas de assédio. Alguns sites de informação, como "Sarawak Report" ou "The Edge", estão também bloqueados por ter coberto o escândalo de corrupção envolvendo o primeiro ministro. Em 2016, enquanto fechava o portal de informações Malaysian Insider, o assédio ao cartunista Zunar continuava. Várias propostas de emendas para reforçar as leis já draconianas sobre os segredos oficiais (Official Secrets Act, OSA) e sobre as comunicações e a multimídia (Communications and Multimedia Act, CMA) também surgiram, ainda que o "Sedition Act" permaneça sendo a ameaça mais presente para os jornalistas.

144
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2017

Posição

+2

146 em 2016

Pontuação global

+0.32

46.57 em 2016

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2017
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2017
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2017
Ver o Barômetro