Gana

Gana

Pluralismo midiático, mas uma certa falta de independência

A República do Gana passou por eleições gerais em dezembro de 2016 que ocorreram sem maiores incidentes ou violações da liberdade dos jornalistas. Neste país, conhecido por ser um dos mais democráticos da África, o pluralismo das mídias e sua independência são garantidos pelo capítulo 12 da Constituição ganense de 1992. Entretanto, somente um número muito reduzido de mídias permitem que os ganenses se mantenham informados. Um terço das mídias ganenses são controladas ou pelo Estado, ou por acionistas ligados ao governo. Essa falta de transparência que caracteriza o setor das mídias aliada a um sistema de regulação relativamente deficiente tende a restringir a liberdade de imprensa. A informação online também se desenvolveu bastante no país, principalmente graças a um uso disseminado da telefonia móvel. Artigos do código penal que punem a publicação de "notícias falsas" são, às vezes, deturpados de seu objetivo inicial e usados contra os jornalistas. Apesar de tudo, as prisões e detenções de jornalistas permanecem excepcionais.

27
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2019

Posição

-4

23 em 2018

Pontuação global

+2.40

18.41 em 2018

  • 1
    Jornalistas assassinados em 2019
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2019
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2019
Ver o Barômetro