França

França

Desconfiança e violência contra jornalistas

O ano de 2019 foi marcado por um aumento muito preocupante de ataques e pressões contra jornalistas. Muitos deles foram feridos por tiros de bala de borracha ou gás lacrimogêneo lançado pela polícia, agredidos por manifestantes furiosos durante o movimento dos Coletes Amarelos e, depois, durante manifestações contra a reforma previdenciária. Com frequência, foram prejudicados em sua cobertura, impedidos de filmar, ou tiveram seus equipamentos confiscados. Outra forma preocupante de pressão é o crescente número de casos de intimidação judicial contra jornalistas investigativos, a fim de identificar suas fontes. Vários deles, que investigavam assuntos delicados, como a venda de armas pela França à Arábia Saudita ou protagonistas relacionados ao caso Benalla, foram convocados pelos serviços de inteligência. A independência editorial dos meios de comunicação não é suficientemente garantida por razões de conflito de interesses, a propriedade do capital muitas vezes permitindo usar a mídia em uma lógica de influência. Além do clima violento mantido contra os jornalistas por políticos que fazem comentários rancorosos, os jornalistas são vítimas de assédio online e se tornam o alvo preferencial de trolls de todos os tipos escondidos por trás de seus monitores e pseudônimos.

34
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2020

Posição

-2

32 em 2019

Pontuação global

+0.71

22.21 em 2019

Contatos

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2020
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2020
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2020
Ver o Barômetro