Finlândia

Finlândia

Ódio online, mas maior confiança nos meios de comunicação

A mídia finlandesa é ameaçada pelas redes sociais. As plataformas corroem as verbas publicitárias e outros métodos de financiamento da mídia convencional, e hospedam sites de notícias fictícios e grupos de usuários que amplificam a desinformação.  As redes sociais também toleram, sem tomar medidas ou assumir responsabilidades relevantes, usuários que perseguem jornalistas e dirigem discurso de ódio a eles. Usuários que também compartilham informações falsas, divulgam teorias da conspiração e não hesitam em atacar a mídia tradicional para desacreditá-la aos olhos do público.  Durante o ano de 2020, o governo propôs uma legislação para proteger a mídia e os jornalistas das consequências do ódio online.  Seu impacto real ainda está para ser visto. Os tribunais têm dificuldade em interpretar de forma consistente a legislação existente que restringe o discurso de ódio online, especialmente quando se trata de casos envolvendo policiais ou jornalistas. Apesar de tudo, a pandemia de Covid-19 teve um impacto positivo na paisagem midiática finlandesa. A confiança da sociedade finlandesa nos principais meios de comunicação do país aumentou claramente, assim como a confiança na informação verificada e na ciência. No entanto, diante da situação econômica vacilante dos meios de comunicação, algumas redações tiveram que demitir colaboradores, e os jornalistas freelancers têm dificuldades para continuar suas atividades.

2
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2021

Posição

0

2 em 2020

Pontuação global

-0.94

7.93 em 2020

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2021
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2021
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2021
Ver o Barômetro